Marcel marca duas vezes e Criciúma fica perto do título

item_19258

No primeiro duelo da final, o estado Catarinense foi bordado de preto, amarelo e branco. Na quinta final da história, Criciúma e Chapecoense travaram um grande duelo, na noite deste domingo, no Majestoso. Melhor e com o espírito da torcida, o Tricolor pressionou o adversário e venceu o jogo por 2 a 0.

O destaque ficou por conta do atacante Marcel que marcou os dois gols da vitória dos donos da casa. Ele saiu na metade do segundo tempo e foi ovacionado pela torcida. Com o resultado, o Criciúma pode perder por até um gol, que leva o título. Se perder por dois gols de diferença, a decisão do Catarinense vai para os pênaltis.

No próximo domingo, o Criciúma viaja até o Oeste para encarar a Chapecoense, às 16h, na Arena Condá. O confronto define o campeão estadual.

O jogo
Por ser uma final, os dois times estavam disputando cada bola, cada dividida, cada lance. A raça das equipes era visível. O primeiro lance de perigo foi aos 15 minutos. Lins fintou e arriscou de pé esquerdo. Nivaldo se esticou e salvou a Chapecoense. No rebote, Marcel cruzou e a zaga afastou. O torcedor foi ao delírio, com a primeira grande chance.

Aos 20 minutos, o Majestoso tremeu. Suéliton deixou o zagueiro na saudade e fez o cruzamento. A bola bateu em Nivaldo e no atacante Marcel. Ele, em dois toques, mandou para o fundo da rede e arrancou o grito de gol da garganta do torcedor.

A Chapecoense não se intimidou e quase empatou. Fabinho Alves veio pela direita, mandou a bomba e a trave salvou o Tigre. Inflamado pela torcida, o Tigre foi para cima. Empurrado com os Tricolores, mereceu o segundo gol. Foi lá e fez. Suéliton driblou, de novo, o marcador e Marcel empurrou para o fundo da rede, meio de bicicleta. A torcida foi ao delírio e os jogadores reservas da Chapecoense foram para o aquecimento para tentar mudar a situação.

O time que vestia verde não conseguia impor o seu ritmo e estava sendo engolido, em pleno Majestoso. Até o final do jogo, o Tigre só controlou e terminou o primeiro tempo a frente do placar.

Segundo Tempo
A Chapecoense sacou Fabinho Gaúcho e colocou Athos. Porém as mudanças não deram certo. O Tigre dominava a partida e tinha o controle do jogo. O Tricolor até chegou com Fabinho, mas a zaga tirou em cima da hora. Depois, o jogo ficou mais no meio campo e o Criciúma não criava com tanta facilidade.

Aos 30 minutos, Vadão tirou Marcel, que foi super aplaudido, para a entrada de Tartá. Aos 39, Nivaldo saiu mal e quase entregou o terceiro gol. Sem muitas chances, bastou o apito final para comemorar e festejar a vitória do Criciúma.

Futebol SC.

Pin It
Você gostaria de comentar?