Tênis de mesa de Criciúma abre os trabalhos para a temporada

Os mesatenistas da Fundação Municipal de Esportes Criciúma (FME) suam a camisa para a temporada 2013. Os comandados do técnico Alexandre Ghizi concluem a segunda semana de treinamentos na preparação para mais um ano repleto de competições importantes. Por mais um ano, o desafio principal consiste em revelar talentos para o cenário nacional.

O ritmo intenso de treinos mira principalmente a defesa do título estadual por equipes da modalidade e as competições organizadas pela Fundação Catarinense de Esporte (Fesporte): os Jogos Escolares (Jesc), Joguinhos Abertos, Jogos da Juventude Catarinense (Olesc) e os Jogos Abertos (JASC) e os Jogos Abertos Paradesportivos (Parajasc). “Vamos também buscar a participação em etapas da Copa Brasil e também pelo menos uma do Campeonato Brasileiro para dar mais experiência em confrontos de alto nível para os atletas. Além disso, somente assim se chega às seleções brasileiras”, frisa Ghizi.

A produção de talentos na modalidade avalizam a condição de referência estadual de Criciúma. Crianças e adolescentes podem seguir o mesmo caminho da atleta paraolímpica Bruna Costa Alexandre ao ingressar em uma das escolinhas de tênis de mesa da FME. As matrículas estão abertas para as aulas gratuitas nos 11 núcleos instalados em diferentes pontos do município. No ano passado, ao todo 700 alunos praticavam o esporte nos projetos.

Manter talentos locais como representantes da cidade nas competições estaduais e nacionais configura uma missão estabelecida para o tênis de mesa criciumense, para o presidente da FME, Renato Valvassori. “Através dos projetos cumprimos com excelência o objetivo do Poder Público Municipal e da nossa entidade de promover a formação do cidadão e a inclusão social pelo esporte. Se essas crianças virarem atletas, isso é consequência da eficiência do trabalho dos instrutores e técnicos”, afirma.

Ghizi salienta a política adotada de jogar competições de base com 100% de jogadores locais, prática deixada de lado por alguns municípios do Estado. Pelo alto nível técnico do tênis de mesa catarinense, cidades importam atletas de outros estados para representar. “Há casos de equipes inteiras de fora contratadas. Isso nos impôs dificuldades nas competições no ano passado. Nosso propósito é diferente desse. Buscamos títulos, mas preferimos ficar em segundo a deixar de colocar os jovens daqui nos campeonatos”, afirma.

O próximo desafio do tênis de mesa criciumense está agendado para os dias 9 e 10 de março. A equipe paraolímpica vai para a disputa da Copa Brasil, em Brasília-DF. O técnico Alexandre Ghizi conhecerá o calendário catarinense da modalidade no próximo dia 16/2, em reunião da Federação Catarinense de Tênis de Mesa, em Porto União.

A participação nos Joguinhos Abertos e JASC atrai as atenções, mas não podem ser vistos como únicos objetivos, acredita Ghizi. “Estimulamos e estamos em busca de parcerias para poder estar presente no Circuito Estadual e algumas etapas de competições nacionais. Se pensarmos só em Joguinhos, JASC e Olesc, não vamos conseguir chegar aos nossos objetivos”, salienta.

Pin It

Comentários estão fechados.