Vigilância Sanitária e departamento de Meio Ambiente investigam crimes ambientais

DSC04126
Devido à grande demanda de ocorrências e denúncias na área de resíduos sólidos, ou seja, lixo domiciliar e problemas relacionados à destinação inadequada na área de expansão urbana de Presidente Getúlio, os setores de Vigilância Sanitária e a Sadema, órgão municipal de Meio Ambiente, estão investigando, notificando e autuando os responsáveis pelas irregularidades.

O município conta com a coleta semanal que passa de duas a três vezes em cada rua na área urbana e uma vez por semana na rural. Mas ainda assim, alguns moradores insistem em fazer o descarte de maneira inadequada ao jogar lixo industrial (resíduos de malharia, resíduos de oficinas, entre outros) nas lixeiras coletivas domésticas e em áreas de encostas de rios e barrancos. Assim como alguns estabelecimentos jogam os resíduos particulares em lixeiras comunitárias de áreas rurais, quando o correto seria cada empresa ou indústria ser responsável por seus resíduos e fazer a destinação final adequada.

“Estamos orientando a todos e nossos setores estão abertos para diálogo, esclarecimentos e apoio técnico. Porém, é preciso tomar medidas mais enérgicas para que algumas pessoas passem a respeitar o cronograma de coleta do município de Presidente Getúlio e também parem de praticar ações que causem degradação ambiental e coloquem a vida de toda população em risco”, ressalta Ana Lúcia Bittencourt, bióloga e responsável pelo Setor de Vigilância Sanitária. 
Sendo assim, a bióloga e o engenheiro responsável pela Fiscalização Ambiental da Sadema, Márcio Roberto Vanderlinde vão continuar investigando e autuando os responsáveis pelos danos ambientais causados em Presidente Getúlio.
Crislene Roberta.
Pin It
Você gostaria de comentar?