Vacina contra o HPV para meninos tem faixa etária ampliada

A partir de junho, todos os meninos entre 11 e 14 anos devem receber a vacina contra o HPV (papilomavírus). Oferecida desde janeiro deste ano para meninos entre 12 e 13 anos, a vacina teve a faixa etária ampliada por decisão do Ministério da Saúde (MS), para fortalecer as ações de saúde na população masculina e possibilitar a prevenção da ocorrência de cânceres de pênis, ânus, orofaringe e de verrugas genitais, doenças diretamente relacionadas ao HPV.

Em Santa Catarina, 21.276 meninos entre 12 e 13 anos receberam a primeira dose da vacina do HPV. “Uma segunda dose deverá ser tomada em seis meses para garantia da imunização”, alerta Vanessa Vieira da Silva, gerente de Imunização da Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive) da Secretaria de Estado da Saúde (SES). Segundo ela, a definição da faixa etária visa proteger os adolescentes antes do início da vida sexual e do contato com o vírus.

A faixa etária será ampliada gradativamente até igualar a das meninas, ou seja, 9 a 14 anos de idade. Jovens entre 9 e 26 anos vivendo com HIV/Aids devem também ser vacinados, sendo necessárias três doses para a imunização.

Durante o mês de junho, Santa Catarina está intensificando a vacinação contra o HPV. As equipes de saúde estão visitando as escolas, levando informações sobre a prevenção do câncer, avaliando as cadernetas e vacinando os adolescentes.

A vacinação é oferecida gratuitamente nas 1,2 mil salas de vacina da rede pública de saúde e pode também ocorrer nas escolas. Porém, vale salientar que cada município define sua estratégia de vacinação, de acordo com a logística e as realidades locais. Os adolescentes não necessitam de autorização ou acompanhamento dos pais nas salas de vacina. Basta que apresentem um documento de identificação ou a carteira de vacinação.

O HPV é transmitido pelo contato direto com pele ou mucosas infectadas, na maioria das vezes, através da relação sexual desprotegida. É altamente contagioso, sendo possível infectar-se com uma única exposição ao vírus. Pessoas infectadas podem não apresentar lesões visíveis e transmitir o HPV sem saber.

Calendário vacinal

Até o ano passado, este tipo de imunização era feito somente em meninas de 9 a 14 anos. A ampliação da vacinação contra o HPV para o sexo masculino é uma das novidades do Calendário de Vacinação 2017 da rede pública de saúde. “A vacinação dos meninos contribui para o aumento da proteção também das meninas, evitando especialmente o câncer de colo de útero, principal doença causada pelo HPV nas mulheres”, acrescenta Vanessa.

O Ministério da Saúde decidiu incluir os meninos no programa nacional de vacinação contra o HPV no ano passado, e o Brasil tornou-se o sétimo país a adotar essa estratégia de saúde pública, igualmente utilizada nos Estados Unidos, na Austrália, na Áustria, em Israel, em Porto Rico e no Panamá. A decisão de ampliar a vacinação para o sexo masculino está de acordo com as recomendações das Sociedades Brasileiras de Pediatria, Imunologia, Obstetrícia e Ginecologia, além de DST/AIDS e do mais importante órgão consultivo de imunização dos Estados Unidos (Advisory Committee on Imunization Practices).

Outra novidade no calendário vacinal de 2017 é que adolescentes de 12 a 13 anos também serão imunizados contra meningite C. Até o ano passado, apenas crianças de 3, 5 e 12 meses eram vacinadas contra a doença, considerada grave e de rápida evolução.

Letícia Wilson / Patrícia Pozzo

Pin It
Você gostaria de comentar?