Transitar acima da velocidade permitida é a infração de trânsito mais cometida em Santa Catarina

Transitar em velocidade superior à máxima permitida em até 20% foi a infração mais cometida pelos motoristas catarinenses em 2016. Nos primeiros cinco meses deste ano, foram 234,8 mil penalidades registradas por este motivo. Em 2015, o total foi de 750,9 mil. O dado é do Departamento de Trânsito de Santa Catarina (Detran), que divulgou o ranking de infrações mais cometidas em Santa Catarina.

maio_amarelo_20160513_1167634009

A gerente de Penalidade do Detran, Graziela Maria Casas Blanco, informou que essa infração vem sendo a primeira em Santa Catarina há mais de uma década. “Dentro dos números constatados verifica-se que é uma questão de comportamento, ou seja, as pessoas sabem que não podem dirigir acima da velocidade permitida, sabem que existem radares, mas mesmo assim insistem em correr riscos. É preciso educação no trânsito, cuidado, mais conscientização e um comportamento seguro.”

Para ajudar na conscientização da população, este mês traz a ação nacional Maio Amarelo – Atenção Pela Vida. A campanha chama atenção para a importância da segurança viária, da redução dos acidentes e da perda de vidas no trânsito.

O ranking do Detran mostrou ainda outros comportamentos errados que vêm se repetindo com frequência no Estado, reforçando a necessidade de um trabalho educativo. Em segundo lugar nas infrações mais cometidas está o estacionamento em desacordo com a regulamentação. Já foram registrados 161 mil ocorrências. Em seguida, avançar o sinal vermelho na fiscalização eletrônica com 147,9 mil registros. Em quarto, está transitar em velocidade superior à máxima permitida em mais de 20% até 50% com 123,6 mil flagrantes. (veja o rankingo abaixo)

De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), dirigir acima da máxima em até 20% é infração média de R$ 85,13 e gera quatro pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Se a velocidade for superior à máxima em mais de 20% até 50%, a infração é grave, R$ 127,69, e o condutor perde cinco pontos. Se for superior à máxima em mais de 50%, a infração além de ser gravíssima, R$191,54, gera sete pontos e suspensão do direito de dirigir.

maio_amarelo_20160513_1448362581

O tenente-coronel, Fábio Martins, do Comando de Policiamento Rodoviário de Santa Catarina (PMRv), disse que o excesso de velocidade potencializa os acidentes. “Sempre que fazemos a fiscalização do excesso de velocidade estamos prevenindo acidentes de natureza grave e gravíssima, onde geralmente acontecem as mortes. Vamos continuar com as fiscalizações com uma frequência cada vez maior.”

“Geralmente quando ocorre um acidente, as pessoas tendem a culpar o veículo, a via, a falta de fiscalização, mas o principal fator é a consciência do condutor. Ele tem que mudar a atitude, dirigir com velocidade compatível com a via, manter distância do veículo da frente, não perder a atenção. O motorista tem que respeitar as regras de trânsito, de circulação, ser prudente e cauteloso”, destacou o tenente-coronel.

Celular, um problema grave

Outro problema relatado por Martins é o uso do celular no trânsito, principalmente com mensagem de texto, pois quando se baixa a visão para digitar duas ou três palavras se perde um tempo precioso no trânsito.

“Se você está a uma velocidade acima de 60km, esses dois segundos representam uma distância muito grande percorrida sem que se preste atenção na via. Temos vários relatos de acidentes que poderiam ter sido evitados, mas que se chocaram por estarem no celular. A minha dica é entrar no carro e colocar o celular na bolsa, no porta luva, onde não vá conseguir pegar. Isso evita que se perca a atenção e, com certeza, evita muitos acidentes.”

Graziela destacou que o Detran/SC está participando efetivamente do Movimento Maio Amarelo no Estado. Estão sendo distribuídos materiais do projeto “Balada pela vida, Álcool e Direção Mistura Fatal”, que pretende despertar na população a consciência sobre os riscos ocasionados pela ingestão de álcool associada à condução de veículo.
“Precisamos conscientizar a população para diminuir o número acidentes e de pessoas que desrespeitam a lei”, frisou a coordenadora.

Ranking de infrações

Infração

Números em 2015

Números em 2016

Percentual 2015

Percentual 2016

Transitar em vel superior à máxima permitida em até 20% 750.911 234.285 47,20 44,75
Estac. Em desacordo com regulamentação 161.606 60.406 10,16 11,54
Avançar sinal vermelho do semáfaro 147.993 49.397 9.30 9,43
Trans em veloc superior à máxima permitida em mais de 20 até 50% 123.682 40.539 7.77 7,74
Deixar de efetuar registro de veículo no prazo de 30 dias 116.682 40.312 7.33 7,70
Multa por não identificação do infrator, imposta a pessoa jurídica 78.494 28.328 4,93 5,41
Deixar o condutor de usar o cinto de segurança 65.197 22.129 4,10 4,23
Condutor do veículo registrado que não esteja devidamente licenciado 63.662 18.799 4,00 3,59
Dirigir Veículo sem possuir CNH ou permissão para dirigir 44.225 14.693 2,78 2,81
Parar sobre faixa de pedestre, mudança de sinal luminoso – Eletrônico 38.358 14.672 2,41 2,80
Total geral de infrações 1.590.809 523.560

Maio Amarelo

Em Santa Catarina o Maio Amarelo está com atividades em diversas cidades com  ações que envolvem seminários, caminhadas, blitzes educativas, entre outras, para alertar a sociedade sobre os altos índices de acidentes e de mortes no trânsito.

O movimento nacional ganhou força em Santa Cataria com a articulação entre o poder público e a sociedade civil organizada, envolvendo uma série de órgãos e instituições. O principal articulador é o projeto Rede Vida no Trânsito, de Florianópolis, que  reúne organizações governamentais municipais, estaduais e da união, além de organizações sociais e empresariais.

Saiba mais

Em 2015 foram registrados 54 desastres de trânsito em Florianópolis, com 55 mortes. Dessas vítimas, a maioria era formada por homens (85,5%) e metade delas tinha menos de 32 anos. Os registros apontam que os desastres envolveram motocicletas (38,2%), carro (21,8%) e bicicletas (12,7%). Os atropelamentos representaram os outros 27,8% das ocorrências.

A análise demonstra que 79,6% dos desastres ocorreram entre os meses de março e outubro e que a maioria (53,7%) ocorreu à noite. Quase a metade (44,4%) aconteceu nos finais de semana. Dentre os fatores de risco associados aos desastres, tanto em relação às vítimas quanto aos envolvidos, estiveram: excesso de velocidade (44,4%), álcool (42,6%), infraestrutura (37%), condições climáticas (16,7%), drogas ilícitas (14,8%), fadiga (13%), falta de habilitação (9,3%) e distração (5,6%).

Em Florianópolis, os desastres de trânsito com vítimas fatais são estudados pelo Grupo de Informação da Rede Vida no Trânsito, composto por representantes de polícias Militar, Rodoviária Estadual e Rodoviária Federal, Corpo de Bombeiros, Samu estadual e municipal, Secretaria Municipal de Saúde, IML, Deinfra e da Vigilância Epidemiológica estadual.

Programação Maio Amarelo em Santa Catarina

17/5 – Rio do Sul: Comandos Educativos com entrega de brindes no Posto da PRE – às 9h

17/5 – Florianópolis: Abordagem Educativa no Terminal de Integração Central (Ticen) – das 10h às 12h, e da 16h30 às 18h30.

19/5 – Rio do Sul: Comandos Educativos com entrega de brindes no posto da PRF – às 9h

20/5 – Rio do Sul Passeata em Atenção pela Vida na Praça Emenbergo Pelizzetti – às 9h

21/5 – Lages na Praça Vidal Ramos Sênior

21/5 – Timbó Capacitação em direção defensiva para motociclistas Pavilhão de Eventos – 8h30 e 14h

28/5 – Itajaí: Caminhada Educativa, com saída da Praça Vidal Ramos – às 9h.

Pin It
Você gostaria de comentar?