Secretário da Agricultura assina portaria estabelecendo novas exigências sanitárias

DSC_0008

Mais um passo foi dado para a erradicação da brucelose e para o controle da tuberculose bovina e bubalina em Santa Catarina pela Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca, juntamente com a Cidasc (Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina). O secretário João Rodrigues assinou nesta terça-feira, 12, após ouvir as entidades representativas da bovinocultura, uma portaria estabelecendo novas exigências sanitárias para a participação de bovinos e bubalinos em exposições e feiras agropecuárias e outras aglomerações destas espécies, assim como no trânsito destes animais entre propriedades que caracterize mudança de proprietário.

Na reunião foram apresentados os dados de uma amostragem científica, realizada pelos técnicos da Cidasc, que analisou os rebanhos de 1.653 propriedades, em todos os municípios catarinenses, realizada em 2012 e neste ano sobre a ocorrência destas enfermidades. Os resultados comprovaram a existência de animais positivos para brucelose em 8 propriedades e para tuberculose em 11 propriedades, representando uma baixa taxa de contaminação dos rebanhos. O secretário João Rodrigues enfatizou o fato de que os números comprovam que entre os estados brasileiros, Santa Catarina possui o menor nível de ocorrência de brucelose e de tuberculose, que além de causarem prejuízos aos criadores, podem se transmitir às pessoas, provocando graves danos à saúde humana.

O diretor de Qualidade e Defesa Agropecuária da Secretaria da Agricultura e da Pesca, Roni Barbosa, destaca que com portaria assinada pelo secretário João Rodrigues, o Estado poderá em médio prazo erradicar a brucelose e obter a certificação de zona livre de brucelose, por parte da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), além do melhorar o controle da tuberculose, conferindo melhores condições de competitividade dos produtos da bovinocultura no mercado nacional e internacional, com agregação de valor aos criadores e estabelecimentos industriais do setor.

As novas medidas sanitárias serão executadas pela Cidasc e preveem para os rebanhos de produção de carne a realização de exames de diagnóstico de brucelose e de tuberculose nos machos não castrados e fêmeas a partir dos dez meses de idade, tanto para aqueles que participam de exposições e feiras agropecuárias, como para aqueles transferidos de propriedades, com mudança de proprietário. Excetuam-se das exigências de exames de diagnóstico para brucelose e tuberculose, os bovinos e bubalinos que se destinam à engorda para abate. Para os rebanhos leiteiros continuam as exigências de realização de exames de diagnóstico de brucelose a partir dos oito meses de idade e para tuberculose a partir de seis semanas de idade.

Pin It
Você gostaria de comentar?