Saúde – Homens: Quanto tempo você quer viver e como pretende chegar lá?

É comum o homem não cuidar de sua própria saúde. Eles vão ao médico apenas quando estão no limite ou sentem que tem algo muito errado e precisam de ajuda. Fazer anualmente um check-up é simples e é muito importante para garantir a qualquer individuo a possibilidade de viver mais e melhor. É muito mais confortante saber com antecedência se há algo errado e procurar um tratamento adequado. Quanto mais tarde tomamos esse tipo de atitude, menos chances nós temos de conseguir a cura.

O check-up anual é tão importante que pode livrar o cidadão de sérias complicações futuras com a sua saúde. Basta reservar uma semana em sua agenda durante o ano e procurar um profissional adequado, geralmente um clínico geral, que irá lhe repassar exames de rotina.

Mas não vale fazer os exames e deixá-los “mofando” em uma gaveta qualquer da casa. Retorne ao seu clínico e os apresente. Lembre-se que em torno de 36% das pessoas que morrem de “morte súbita” (a maioria homens), são pessoas que não estavam sentindo nada. Ou seja, foram ao médico, fizeram os exames e não retornaram para mostrar os resultados, achando que estava tudo normal. Por isso é importante a prevenção, através de um check-up. Caso seja encontrada alguma anomalia, você receberá as recomendações sobre tratamento e sugestões de profissionais específicos para recuperar a sua saúde. Não importa se você faça o seu check-up na rede pública de saúde ou particular. O importante é você se sentir confiante em relação a sua saúde.

Um exemplo da importância de um check-up é a hipertensão. Ela pode não apresentar nenhum sinal ou sintoma aparente, e muitas vezes na hora que o paciente mede a sua pressão, ela está normal (100 – 120/60 – 80). Inclusive um diabetes pode ocorrer sem sinais específicos ou sintomas. Vale destacar que em homens o primeiro sinal de que há algo errado com a saúde, pode ser evidenciada com uma alteração leve na qualidade da ereção ou diminuição de desejo. Não se intimide, conte a sua história ao médico. A sua saúde vem em primeiro lugar, pois saúde não é somente a ausência de doença e sim fazer de tudo para não perde-la!

Uma boa sugestão é você ir ao médico sempre bem informado. O seu clínico deverá solicitar os seguintes exames de rotina: Hemograma; Colesterol Total; HDL; Triglicerídeo; Glicemia de jejum; Hemoglobina Glicada; TGO/TGP/Gama – GT; PSA total (de 40 anos para cima); Testosterona Total; S- DHEA; S-HBG; Estradiol; Prolactina, LH/FSH e Pesquisa de Sangue Oculto nas Fezes (40 anos ou mais).

São exames de rotina e fundamentais para homens a partir dos 35 anos. Também devem ser incluídos para os homens a partir de 40 anos, teste ergométrico; ecocardiograma, US próstata via abdominal e colonoscopia (se não houver nenhuma queixa, repetir a cada cinco anos). A partir dos 50 anos os exames de sangue devem ser realizados de seis em seis meses e os exames de imagem e gráficos, anualmente (se não houver nenhuma intercorrência), também deve ser incluído um ultrassom de carótida e o toque retal obrigatoriamente.

Mesmo que você constate que está tudo em ordem, não quer dizer que você pode relaxar e continuar fazendo tudo o que julgar prazeroso, mas que aos poucos vai destruindo a sua saúde. Lembre-se: um câncer de próstata (sexta maior incidência no mundo) pode levar até quinze anos para se manifestar e dar alguma alteração no PSA ou no toque retal. Outro exemplo são as neoplasias cólon retais (terceira maior incidência no mundo), que podem levar anos para dar os primeiros sintomas, que muitas vezes podem se apresentar através de uma prisão de ventre ou em um sangramento nas fezes, que pode sugerir também, uma hemorroida.

Então, a pergunta que fica é: qual o objetivo de fazer um check-up e realizar os exames de rotina? A resposta é que, quem se cuida e faz esses exames, tem mais chances de detectar qualquer alteração na saúde mais precocemente e ter um prognóstico melhor na evolução de um câncer. Lembre-se que a maioria das disfunções sexuais no homem pode indicar que há algo errado em alguma parte do corpo em geral, e que está se manifestando através de uma disfunção erétil. Vale destacar que as principais causas das disfunções sexuais (disfunção erétil e perda de libido), são a obesidade; a hipertensão não tratada; a diabetes; a cirurgia para ressecção da próstata total ou parcial; doenças do coração; doenças do pulmão (principalmente DPOC e tuberculose); AIDS; sequelas de radioterapia e quimioterapia; cirrose hepática; esteatose hepática, apneia do sono e entre outras.
por Dr. Carlos Eduardo Prado Costa – CRM/SC 7222

Médico Clinico Geral da Clínica Ictus Homem e Membro da Sociedade Internacional de Medicina Sexual

Pin It

Comentários estão fechados.