Santa Catarina e outros nove Estados apresentam propostas para novo ministro da Agricultura

Secretários de Agricultura de dez Estados e do Distrito Federal estiveram reunidos em Brasília na manhã desta quarta-feira, 18, com o ministro de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi. O primeiro encontro com o novo ministro teve o objetivo de criar um canal de comunicação direto onde os secretários possam contribuir com propostas para o desenvolvimento do setor agrícola. “É preciso também que vocês nos cobrem frequentemente. Se não, não funciona”, enfatizou o ministro, que pretende intensificar a relação com os governos estaduais.

De acordo com o secretário de Estado da Agricultura e da Pesca, Moacir Sopelsa, uma das principais preocupações está voltada à agricultura familiar. A área não deve ter apenas enfoque social, mas também produtivo – o que seria uma atribuição do Ministério da Agricultura. O entendimento é que a fusão do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) com o Ministério do Desenvolvimento Social (MDS) pode prejudicar a agricultura familiar já que todas as políticas agora estão no Ministério da Agricultura (Mapa). “Em Santa Catarina, 90% de todos os agricultores são da agricultura familiar, são eles que fazem do nosso estado um dos maiores produtores de alimentos do país”, enfatiza.

O secretário catarinense, junto com os representantes do Rio Grande do Sul, Paraná e Mato Grosso do Sul, também entregaram um documento com sugestões para aprimorar a estrutura e as políticas públicas voltadas para o setor agropecuário. Entre elas, o fortalecimento dos serviços de defesa sanitária, assistência técnica, extensão rural e pesquisa agropecuária com uma maior participação do Governo Federal nos financiamentos dessas políticas executadas pelos Estados.

O grupo também pediu o fortalecimento das políticas de irrigação e florestas plantadas, conservação do solo e infraestrutura rural, além do treinamento de fiscais federais agropecuários pela Escola Nacional de Gestão Agropecuária (Enagro). Por causa das perdas agrícolas na safra atual de grãos, também foi defendida a renegociação das dívidas de custeio e investimento dos produtores com as instituições financeiras.

O ministro enalteceu o interesse dos secretários e manifestou total apoio à pauta de reivindicações. “Vamos tentar fazer o sistema mais eficaz, fazer mais com menos e o Mapa tem que agilizar essas negociações”, afirma. Blairo Maggi também explicou que pretende investir na piscicultura como uma das principais atividades da agricultura familiar. “Nunca concordei com a divisão de agricultores em pequenos, médios e grandes, enfim são todos agricultores”, comenta.

Participaram da reunião os secretários de Agricultura do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Distrito Federal, Tocantins, Pará, Alagoas, Maranhão e Amazonas.

Ana Ceron

Pin It
Você gostaria de comentar?