Rio do Sul – Defesa Civil conclui relatório sobre a liberação do FGTS

IMG_3504

A Defesa Civil de Rio do Sul entregou na segunda-feira (11), à agência da Caixa Econômica Federal do município, o relatório das residências que foram afetadas pela enchente em setembro deste ano.

O documento aponta o registro de pelo menos 6 mil residências afetadas. De acordo com o diretor do órgão, André Gustavo Wormsbecher, localidades como o Bonfim, no bairro Sumaré, receberam visitas a campo, considerando que algumas residências não possuem numeração. “Cadastramos o nome dos moradores e as coordenadas geográficas, e inclusive já temos isso registrado no nosso banco de dados para ações futuras”, frisou.

Todo o trabalho, desde o planejamento até sua conclusão, levou 15 dias para ser concluído. “Parte desse processo foi feito através das progressões dos mapas do sistema de georreferenciamento e o trabalho de campo durou apenas três dias, para verificar algumas localidades onde existiam dúvidas”, explicou Wormsbecher.

Como Rio do Sul não teve o Decreto de Estado de Calamidade Pública reconhecido pelo Governo Federal, somente o de Situação de Emergência, o FGTS será liberado somente as pessoas que tiveram suas residências afetadas. Agora, a Caixa Econômica Federal deverá montar a estrutura logística para atendimento a esses cidadãos. O limite máximo de saque é de R$ 6.220,00. “É importante destacarmos que este é um processo burocrático e demorado. Não adianta procurar a agência da Caixa ou a Defesa Civil neste momento. Assim que todo o processo estiver concluído, o cronograma será amplamente divulgado, para daí sim as pessoas procurarem a agência”, afirmou o diretor da Defesa Civil.

Para o prefeito Garibaldi Antônio Ayroso, o Gariba, apesar de todo o esforço político, não foi alcançada a liberação do benefício para todos os cidadãos afetados indiretamente. “Estive em Brasília junto com o governador Raimundo Colombo e o secretário Milton Hobus, onde fizemos essa reivindicação ao Ministério da Integração Nacional. Rio do Sul não alcançou todos os critérios definidos pela Defesa Civil Nacional, portanto, não conseguimos o reconhecimento do Decreto de Estado de Calamidade Pública, restringindo o pagamento do benefício somente aos afetados diretamente”, argumentou o prefeito.

O relatório consta a inscrição imobiliária e o endereço do beneficiário.

Pin It
Você gostaria de comentar?