Rio do Sul – Caps retoma atendimento em grupos

O Centro de Atenção Psicossocial (Caps) de Rio do Sul retomou nesta segunda-feira (25) os atendimentos aos grupos Operativo e Terapêutico. A unidade atua com foco na assistência especializada às pessoas que sofrem de transtorno mental severo, persistente, neuróticos graves, dependentes de substâncias psicoativas, como álcool e outras drogas.

O Grupo Operativo atua com o objetivo de tornar o paciente mais independente, já Grupo Terapêutico, trata de questões interpessoais e extra-pessoais. O Caps conta também com as Oficinas Terapêuticas, que devem ser retomadas em abril.

Cerca de 50 pacientes buscam diariamente por atendimento no local. Eles são avaliados por uma equipe multidisciplinar, composta por três psiquiatras, dois clínicos gerais, dois psicólogos, um técnico em enfermagem, um enfermeiro, um auxiliar administrativo, um terapeuta ocupacional, um assistente social e um auxiliar de serviços gerais.

O intuito é inserir os pacientes no máximo de atividades possíveis, o que desenvolve o relacionamento em grupo, explica a terapeuta ocupacional, Ana Paula Nolli. Ela destaca que o tempo de tratamento varia de acordo com cada quadro. “Todos os dias temos atividades e eles participam de acordo com a necessidade. Existe a internação que é feita no hospital e que dura no máximo 45 dias. Depois de medicado o paciente começa a frequentar o Caps diariamente, conforme a melhora. Essa frequência é reduzida para sete em sete dias, depois de 15 em 15 dias, 30 em 30 dias, até receber alta”.

Alguns mesmo após receber alta retornam ao Caps para novos tratamentos, “o espaço está sempre à disposição. Há muitos casos como na dependência de álcool e outras drogas em que os quadros são instáveis, mesmo para outras doenças crônicas também há uma instabilidade”, detalhou.

O Caps também mantém parcerias, uma delas é com a Fundação Cultural, que possibilita que os pacientes frequentem todas as quartas-feiras pela manhã aulas de Fios. Uma vez ao mês os pacientes também participam da Tarde da Beleza, no Senac. “Eles têm a oportunidade de cuidar do cabelo, das unhas, entre outros tratamentos, o que ajuda e muito no resgate da autoestima de cada um. São parcerias muito válidas e que contribuem com os tratamentos”, concluiu Ana Paula.

Liana Trevisan

Departamento de Comunicação 

Pin It

Comentários estão fechados.