Regional de Ibirama sedia evento para pacientes ostomizados

bolsas foto Helena Marquardt

A Agência de Desenvolvimento Regional (ADR) de Ibirama sediou na sexta-feira, 28, um evento para ostomizados. Ao todo mais de 40 pessoas de nove municípios da região participaram de uma palestra informativa e puderam esclarecer dúvidas e trocar experiência com outros pacientes.

O aposentado Otávio Silvestre Bardini,de 73 anos,  que mora em Dona Emma e usa bolsa há cerca de nove anos em virtude de um câncer no intestino, foi um dos participantes e destaca que eventos como esse são fundamentais para repassar aos pacientes informações essenciais. “Hoje tenho uma vida normal e faço de tudo. Já acostumei com a bolsa, mas é sempre bom participar desses eventos porque sempre aprendemos muita coisa.”

A ex-costureira Iria Schmeider, de 45, que é moradora de Ibirama, foi outra participante e conta que começou a usar a bolsa neste mês quando foi diagnosticada coma doença de Crohn. Ela afirma que ainda está se adaptando a nova rotina de cuidados, por isso a participação na palestra foi ainda mais importante. “Me explicaram tudo bem certinho lá e acho que poderia ter todos os meses, pois é muito útil. Adorei a palestra e recebi muito apoio também.”

A coordenadora da Vigilância Sanitária da ADR de Ibirama, Rosdalva Iumara Schroder, explica que vários motivos podem levar a uma cirurgia para construção de uma nova saída para a urina e fezes e destaca que o procedimento pode ser permanente ou temporário.  Ela ressalta ainda que o apoio citado por Iria,é fundamental para que os pacientes tenham mais qualidade de vida.

Pensando nisso a Regional de Ibirama desenvolve um programa de apoio ao ostomizado que tem feito a diferença na vida de pessoas dependem do uso de bolsas. “Através dele mantemos contato com os enfermeiros dos municípios da ADR que atendem essas pessoas para fazer um acompanhamento da sua evolução, além de reuniões com os próprios pacientes para manter um contato mais humanizado e proporcionar momentos de interação com outras pessoas na mesma situação”, revela.

Nos encontros, a Vigilância Sanitária apresenta inclusive as novidades no mercado de bolsas e e procura motivar os pacientes. “Aqui o paciente ostomizado encontra apoio e momentos de descontração que também são importantes no tratamento”.

Helena Marquardt

Pin It
Você gostaria de comentar?