Prefeito, vice e vereador de Vitor Meireles são multados por captação ilícita de sufrágio

O juiz da 14ª Zona Eleitoral (Ibirama), Fernando Rodrigo Busarello, condenou o prefeito de Vitor Meireles, Lourival Lunelli (PMDB), o vice-prefeito, Luiz Lucio Fossa (PMDB), e o vereador Flavio Mafra (PMDB), todos do mesmo município, ao pagamento de multa no valor de mil UFIRs, além da cassação dos diplomas dos mesmos, pela prática ilegal de captação de sufrágio. O magistrado condenou, também, o médico Jorge Gomes Monteiro Neto e Onadir Nardi ao pagamento do montante citado acima pela prática da mesma conduta ilegal.

Da decisão, divulgada nas páginas 14 a 17 do Diário da Justiça Eleitoral de Santa Catarina desta terça-feira (5), cabe recurso ao Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina.

Conforme consta na Ação de Investigação Judicial Eleitoral, movida pela Coligação “Unidos por Vitor Meireles” (PP, PT, PSC e PSD), a ilegalidade foi cometida durante o período eleitoral de 2012, quando Nardi auxiliou uma eleitora a conseguir uma cirurgia de laqueadura, através de contatos feitos com os então candidatos e o médico, em troca da obtenção de votos da beneficiada e de seus familiares.

Na defesa apresentada pelos condenados, eles declararam que havia ausência de indícios para embasar as alegações. Porém, o esposo da eleitora disse que “no início não se sentiam coagidos a votar neles, mas posteriormente sim porque passaram a ir com frequência a sua casa”.

Segundo o magistrado, as provas apresentadas, sendo a sua maioria depoimentos testemunhais, revelam que a prática de oferecer procedimento cirúrgico, como a do presente caso, em troca de votos fazia parte de um esquema que se utilizava de entidade de saúde pública para promoção pessoal com fins eleitoreiros.

 

Por Mariana Eli / Ellen Ramos
Assessoria de Imprensa do TRESC

Pin It

Comentários estão fechados.