Novo cônsul do Japão declara apoio a meta de exportações de carne suína catarinense

DSC_0012

“O Japão tem todo interesse em auxiliar Santa Catarina na ampliação das exportações de carne suína e por isso nos colocamos à disposição do Governo do Estado e dos frigoríficos catarinenses”, declarou nesta quinta-feira, dia 27, o novo cônsul do Consulado Geral do Japão em Curitiba, com jurisdição no Sul do Brasil, Akira Ichioka, durante visita de cortesia à Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca. Ichioka esteve visitando o Porto de São Francisco do Sul, a Fiesc (Federação das Indústrias de Santa Catarina) e empresas japonesas com atuação no mercado catarinense em Joinville, Itajaí e Florianópolis.

Durante reunião na Secretaria, o novo cônsul foi informado que o Estado possui nove estabelecimentos habilitados a exportar carne suína para o Japão: BRF (Campos Novos e Herval D’Oeste), Seara (Seara e Itapiranga), Pamplona (Rio do Sul e Presidente Getúlio), Aurora (Chapecó), Frigorífico Catarinense (Grão Pará) e o Sul Valle (São Miguel do Oeste). Santa Catarina é o maior produtor nacional de carne suína, respondendo por um quarto do total produzido no país. A entrada da carne suína catarinense foi autorizada pelo Governo japonês em junho de 2013. Em junho, o governador Raimundo Colombo, o secretário João Rodrigues e uma comitiva de deputados e empresários catarinenses estiveram em Tóquio para oficializar a parceria.

Desde a abertura do mercado japonês à carne suína catarinense, o estado já exportou cerca de 350 toneladas de carne congelada. O produto catarinense leva aproximadamente 42 dias para chegar ao Japão e a meta é de ampliar essa participação gradativamente, explicou o diretor de Qualidade e Defesa Agropecuária da Secretaria da Agricultura, Roni Barbosa, que destacou que da média de 800 mil toneladas de carne suína produzida por ano no estado, o mercado internacional consome cerca de 180 mil toneladas. O Japão é o maior importador de carne suína do mundo, comprando o equivalente a 1,2 milhão de toneladas por ano, no entanto as aquisições de carne suína congelada somam 800 mil toneladas.

A expectativa do Governo do Estado é de que, em uma primeira etapa, Santa Catarina responda por 10% do mercado de carne suína congelada, ou seja, cerca de 80 mil toneladas. O montante representaria um ganho da ordem de 45% nos embarques de carne suína catarinense para o exterior. Participaram da reunião com o cônsul, o diretor de Planejamento da Cidasc (Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina), Alvori Cantu e o gerente de defesa sanitária animal da Cidasc, Marcos Neves.

O novo cônsul também foi informado de que Santa Catarina estará participando, nos dias 4 a 7 de março, em Tóquio, da maior feira de alimentos e bebidas da região Ásia-Pacífico, a Foodex Japan 2014. O Brasil terá um pavilhão com 367 metros quadrados, dos quais 100 metros serão ocupados pelo setor de carne suína (Brazilian Pork). O ministro da Agricultura, Antônio Andrade, confirmou a presença no evento que contará com participação de cinco empresas catarinenses (Seara, Aurora, Pamplona, Sulvale e Catarinense), Fiesc e o Sindicato da Indústria de Carnes e Derivados no Estado de Santa Catarina. A Foodex Japan espera a presença de 73 mil profissionais da área de comércio.

Pin It
Você gostaria de comentar?