Moradores de Rio do Sul podem pedir a isenção do IPTU até 31 de outubro

Rio do Sul - Foto - Cleber Stassun

Rio do Sul – Foto – Cleber Stassun

A população de Rio do Sul que se encaixa nos critérios para ter direito a isenção do IPTU, pode realizar o pedido até o dia 31 de outubro. Os documentos exigidos devem ser entregues no Departamento de Arrecadação da Secretaria de Administração e Fazenda (SEDAF) da Prefeitura.

Para solicitar a isenção é necessário que o cidadão seja proprietário de um único imóvel residencial, ser aposentado, pensionista ou assalariado. Ainda é preciso que a renda familiar não seja superior a três salários mínimos, o que equivale a R$ 2.811,00. Entidades filantrópicas, associações desportivas ou culturais, clubes sociais e ou de campo, sindicatos patronais, hospitais e casas de saúde também podem solicitar a liberação do pagamento do imposto. Ainda têm direito a isenção da cobrança do IPTU imóveis urbanos com características e destinação rural, e edificações pertencentes a ex-combatentes ou Microempreendedores Individuais (MEI).

Durante a entrega da documentação o requerente passa por um entrevista. Depois disso, a solicitação é analisada por uma comissão que tem até dezembro para deferir ou não o pedido. O contribuinte que for beneficiado com a isenção do imposto, pagará apenas as taxas cobradas junto do carnê.

Confira a lista de documentos exigidos para o pedido de isenção do IPTU

Aposentados ou Pensionistas:

– documentos de identificação de todos os moradores do imóvel a ser beneficiado (RG, CPF, Certidão de Nascimento, etc);

– Comprovante de Renda Familiar de todos os moradores do imóvel a ser beneficiado;

– Informativo de Benefício expedido pelo (INSS), do mês anterior a solicitação;

– Certidão de Propriedade expedida pelo Cartório de Registro de Imóveis da Comarca;

Assalariados

– Documentos de identificação de todos os moradores do imóvel a ser beneficiado (RG, CPF, Certidão de Nascimento, etc);

– Comprovante de renda familiar de todos os moradores do imóvel a ser beneficiado;

– Carteira profissional atualizada ou ficha de registro de empregado;

– Folha de pagamento do mês anterior ao pedido de isenção;

– Certidão de Propriedade expedida pelo Cartório de Registro de Imóveis da Comarca;

Entidades Filantrópicas, Associações/Agremiações Desportivas ou Culturais, Clubes Sociais e ou de Campo, Sindicatos Patronais, Hospitais e Casas de Saúde:

– Recibo Anual de Informações Sociais – positiva ou negativa referente ao último exercício financeiro;

– Cartão de CNPJ;

– As entidades filantrópicas deverão apresentar o atestado de registro no Conselho Nacional de Assistência Social.

Imóveis pertencentes aos ex-combatentes:

– Carteira de Identidade de ex-combatente ou Certificado de Reservista;

– Carteira de Identidade e CPF;

ou

– Certidão de Óbito do ex-combatente;

– Carteira de Identidade e CPF da viúva;

Imóveis pertencentes aos Microempreendedores Individual – MEI

– Cópia do Alvará de Localização municipal;

– Declaração Nacional do Simples Nacional do Microempreendedor Individual – DASN SIMEI do exercício anterior não podendo exceder a média mensal de três salários mínimos;

– Cartão de CNPJ atualizado emitido na data da solicitação;

– Certidão de Propriedade expedida pelo Cartório de Registro de Imóveis da Comarca;

Imóveis Urbanos com Características e Destinação Rural, quando:

I – Cadastrados junto ao INCRA deverão apresentar:

– Carteira de Identidade do proprietário e do cônjuge;

– CPF do proprietário e do cônjuge;

– ITR – Imposto sobre a Propriedade Territorial Rural;

– CCIR – Certificado de Cadastro de Imóvel Rural;

II – Não cadastrados junto ao INCRA, somente poderão ser isentos após vistoria ‘in loco’ ocasião em que os técnicos da Diretoria Executiva de Agricultura da Secretaria Municipal de Infraestrutura, verificarão se há exploração agrícola, pecuária, extrativa ou vegetal mínima, em pelo menos 60% da propriedade, e desenvolvidas pela mão de obra familiar, para tanto deverão ser apresentados os seguintes documentos:

– Carteira de Identidade do proprietário e do cônjuge;

– CPF do proprietário e do cônjuge;

– Prova de emissão de Notas Fiscais de Produtor Rural;

– Declaração de Cadastramento expedida pela Diretoria Executiva de Agricultura da Secretaria Municipal de Infraestrutura.

Sindréia Nunes

Pin It
Você gostaria de comentar?