HRAV – Situação do Pronto-Socorro foi discutida no Fórum da Saúde

BIN2744_800x600m1fjpgcpy0

Com a presença dos principais gestores do setor na região, o Fórum da Saúde promoveu um debate sobre a situação de alguns hospitais e postos de saúde no Alto Vale do Itajaí. O objetivo é desafogar o atendimento no Pronto-Socorro do Hospital Regional. O encontro foi promovido na manhã desta terça-feira, na sala de reuniões do HRAV.

“A reunião foi muito boa. A população precisa entender que o Pronto-Socorro do nosso hospital precisa dar prioridade aos casos de urgência e emergência. Aqui nós temos que atender primeiro aquele que está correndo risco de morte. Muitas pessoas poderiam resolver seus problemas nos postos de saúde. Mas, como a maioria das prefeituras não oferece esse tipo de atendimento todos acabam procurando o Hospital Regional”, explicou o presidente da Fundação de Saúde do Alto Vale do Itajaí, Giovani Nascimento.

No dia 6 de dezembro, os representantes da Fusavi – mantenedora do HRAV – estarão em uma reunião que será realizada na Associação dos Municípios, na Rua XV de Novembro em Rio do Sul. O encontro vai reunir o Colegiado dos Secretários Municipais de Saúde do Alto Vale do Itajaí.

“Nossa outra preocupação é com o período de Festas de Fim de Ano. No ano passado todas as secretarias de Saúde do Alto Vale deixou de atender em algum momento. Aí todos foram até o Hospital Regional como única opção para os atendimentos ambulatoriais. Ficou acumulado as urgências e emergências que resolvemos nos casos que ocorrem dentro e fora do hospital e os ambulatoriais. Esse tipo de prática não pode mais acontecer. Digo isso pelo bem da saúde na região”, ressaltou Giovani.

O Fórum da Saúde, que é promovido pelo menos uma vez por mês pela Fundação de Saúde do Alto Vale do Itajaí, tem o objetivo de resolver problemas e buscar soluções no setor. Ontem, representantes de hospitais e gerentes regionais de Saúde também fizeram um primeiro diagnóstico dos 18 hospitais da região.

“O nosso objetivo é dar apoio pra eles e prepará-los para ingressar em uma das cinco redes recém criadas pelo Ministério. Essa ajuda seria muito bem vinda. Ajudando eles agora eles também poderão nos ajudar um pouco mais pra frente”, concluiu Giovani.

Pin It
Você gostaria de comentar?