Governo do Estado apresenta programa para reduzir desigualdades regionais

florianopolis_-_programa_de_reducao_das_desigualdades_20160308_1601042297

O Programa de desenvolvimento e redução das desigualdades regionais em Santa Catarina foi apresentado pela Secretaria de Estado do Planejamento a representantes da sociedade civil organizada e órgãos do Governo do Estado em Florianópolis, nesta terça-feira, 8. A ideia é estimular o processo de planejamento e gestão governamental para diminuir desigualdades regionais, promovendo um desenvolvimento inclusivo, equilibrado e sustentável no Estado.

“Temos as linhas gerais de um programa e agora precisamos detalhar um pouco mais como nós vamos atuar, quais são os pontos centrais: cadeias produtivas locais, atração de investimentos externos, melhoria de infraestrutura, qualificação de mão de obra, como é que nós podemos fazer isso”, resumiu o secretário de Estado do Planejamento Murilo Flores.

Equipes de trabalho das diretorias de Planejamento e Desenvolvimento Regional e das Cidades da Secretaria de Planejamento elaboraram um Mapa de Elegibilidade definindo as regiões prioritárias para ações do Governo. Doze Agências de Desenvolvimento Regional (ADRs), compreendendo 84 municípios, foram consideradas prioritárias, ou seja, que não acompanham o mesmo ritmo de desenvolvimento social e econômico daquelas com maior dinamismo econômico.

São elas, em ordem crescente de desenvolvimento: São Joaquim, Curitibanos, Quilombo, Canoinhas, Laguna, Dionísio Cerqueira, Campos Novos, Taió, Ituporanga, Caçador, São Lourenço do Oeste e Lages.


Imagem: Divulgação / SPG

As ADRs foram selecionadas a partir do denominado Índice de Renda SC e dos indicadores complementares evasão da população da região e dinâmica do emprego formal (menor taxa de crescimento de emprego). Esse índice, criado pela Secretaria de Estado do Planejamento, reúne as variáveis renda domiciliar per capita média da população residente na região, que dimensiona a riqueza que é apropriada pela população, e produto Interno Bruto per capita, que se refere à riqueza que é gerada naquele território.

O Mapa de Elegibilidade de Santa Catarina aponta que existem diferenças significativas entre as regiões e classifica-as em três grupos: Regiões Mais Desenvolvidas, Regiões em Transição e Regiões Menos Desenvolvidas. As regiões mais desenvolvidas contemplam seis ADRs com 47 municípios; aquelas em transição abrangem 18 ADRs com 164 municípios e; as regiões menos desenvolvidas abrangem 12 e 84 municípios catarinenses.

Participaram das reuniões representantes da Fiesc (Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina), Sebrae, Fetaesc (Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado de Santa Catarina), Senai (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial), Fecam (Federação Catarinense de Municípios), Facisc (Federação das Assóciações Empresariais de Santa Catarina), Senar/Faesc (Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina), Udesc, Fapesc (Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina), Badesc (Agência de Fomento de Santa Catarina), BRDE (Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul), SST (Secretaria de Estado da Assistência Social, Trabalho e Habitação), Epagri, SCParcerias, Santur e programa SCRural.

Rosália Dors Pessato

Pin It
Você gostaria de comentar?