FIESC anuncia nova unidade do SESI e SENAI para atender Ibirama

HC-1408

A FIESC ampliará o atendimento aos trabalhadores da região do Alto Vale do Itajaí com uma nova unidade integrada do SESI e do SENAI no município de Ibirama. A reforma e adequação do prédio, que receberá investimento de mais de R$ 2 milhões, beneficiará trabalhadores de indústrias com serviços nas áreas de educação. A assinatura do contrato com a Floriano Construtora e Incorporadora para a execução da obra foi realizada nesta terça-feira (19) na ACIIBI. No evento, o presidente da FIESC, Glauco José Côrte, falou com os empresários da região sobre o atual cenário da indústria catarinense.

“Esta é uma antiga reinvindicação da cidade de Ibirama, através do presidente [do Sinduscon de Ibirama] Ayres Marchetti, e estamos agora concretizando”, disse Côrte. A expectativa é que a unidade, com 523 metros quadrados, comece a operar no primeiro semestre de 2017, oferecendo atendimento na área educacional com cursos de Educação de Jovens e Adultos e Corporativa, além de capacitação profissional. Inicialmente, o SESI objetiva atender cerca de 60 alunos da comunidade industriária em educação básica e realizar mil matrículas em cursos da educação corporativa. O SENAI projeta contabilizar 200 matrículas em cursos de aperfeiçoamento e contará com salas de aula e laboratórios.

“Teremos as condições adequadas para os cursos, tanto do SESI quanto do SENAI, num prédio novo. Preenchemos um vazio onde vamos contribuir para o desenvolvimento regional, atendendo um anseio antigo”, disse o superintendente do SESI, Fabrizio Machado Pereira.

Para Ayres Marchetti, “é uma alegria ter chegado o dia da assinatura do contrato para a construção, que servirá para podermos, em primeiro lugar, enfocar a educação dos nossos trabalhadores e também de seus filhos. A educação é o fundamento de uma boa sociedade. Somos felizes por um presidente que disse que esse é o caminho, além de priorizar a saúde do trabalhador”. O presidente do Sinduscon acrescentou que “saúde e educação são fundamentais. Não precisamos muito mais do que isso”.

Cenário econômico

Falando sobre economia, o presidente da FIESC disse que o industrial precisa voltar a investir. “O setor empresarial estava convencido da necessidade de mudança de governo, em função da recessão que temos já há dois ou três anos e a probabilidade de ainda termos queda na economia, independente de qual partido esteja governando. Nos últimos três anos, a queda no investimento foi da ordem de 30% e o investimento é o que nos orienta em relação ao comportamento futuro da economia. Se nós não investirmos hoje a economia tende a se manter retraída. Portanto, a expectativa é positiva”, concluiu Côrte, frisando que o País não suporta mais a paralisia com a qual se convive hoje.

Elmar Meurer

Pin It
Você gostaria de comentar?