Estudantes de Taió participam da Campanha Setembro Amarelo, dedicada à prevenção do suicídio

Em alusão ao Setembro Amarelo, uma campanha de conscientização a prevenção do suicídio, a Gerência de Educação da Agência de Desenvolvimento Regional (ADR), de Taió, promoveu na tarde desta quinta-feira, 21, uma caminhada com a participação de estudantes e professores.

DSC_1017

O movimento finalizou no pátio da Câmara de Vereadores de Taió, com uma pequena palestra sobre o tema, ministrada pelas psicólogas da Secretaria Municipal de Saúde, Simone Betti e Edina Costa Borghezan. Elas enfatizaram as formas de prevenção e a importância da valorização da vida. Segundo as psicólogas, é necessário informar a população sobre comportamentos e frases de alerta em relação ao suicídio, bem como, os serviços do município que podem auxiliar o paciente e os familiares nesse processo de sofrimento emocional.

Conforme o gerente de Educação, Moacir de Melo, a caminhada foi um momento de sensibilização da sociedade para as questões voltadas ao suicídio. “Os alunos serão os disseminadores desse projeto de valorização da vida, o suicídio é um problema sério e merece a devida atenção de todos”.

Saúde divulga panorama do suicídio em Santa Catarina

Na última semana, a Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive) da Secretaria de Estado da Saúde (SES) divulgou os dados referentes aos casos de tentativa de suicídio e de óbitos por violência autoprovocada notificados no estado. No ano passado, 2.990 pessoas tentaram o suicídio e 603 foram a óbito por suicídio. Em 2015, foram registradas 2.909 tentativas de suicídio e 598 óbitos.

“Precisamos conhecer essa triste realidade para podermos desenvolver ações e atitudes para prevenção do suicídio, que é um grave problema de saúde pública no estado e em todo o país”, alerta Eduardo Macário, diretor da Dive/SES/SC, reforçando o apoio do órgão ao movimento Setembro Amarelo, liderado pelo Centro de Valorização da Vida (CVV).

Ressalta-se que todos os casos de violência autoprovocada e de tentativa de suicídio são de notificação compulsória imediata, conforme Portaria 204/2016 do Ministério da Saúde. Em caso de confirmação, a pessoa deve ser acompanhada pelas equipes da Estratégia de Saúde da Família para acolhimento e, se necessário, ela será encaminhada ao serviço especializado em saúde mental (Centros de Atenção Psicossocial).

Pin It
Você gostaria de comentar?