Escolas estaduais do Vale Norte começam a utilizar novo sistema de controle da merenda com QR Code

IMG_5771

Cerca de 400 escolas estaduais de Santa Catarina já utilizam em fase de testes o novo sistema de controle da merenda escolar acessado através da leitura de QR Code com tablets e que vai modernizar a contagem, gerar economia e automatizar o processo que antes era feito manualmente em cada unidade. No Vale Norte a novidade foi apresentada nesta terça-feira, dia 1, para os alunos da EEB Regente Feijó de Lontras e agradou os estudantes.

Eduarda Leal, que frequenta o oitavo ano da escola, afirma que gostou da mudança já que agora o processo para a distribuição da merenda ficou mais ágil com as novas carteirinhas. “Agora foi muito mais rápido pegar o lanche sem contar que a escola vai ter um controle total da merenda que é um direito nosso”, comentou.

A aluna Stefanie Rublenski, do sexto ano, também afirma que gostou da novidade, que segundo ela, pode facilitar até mesmo uma dieta mais balanceada . “Vai mais rápido e todo mundo tem a carteirinha. Também dá pra saber quanto já comemos e quanto podemos comer”, explica.

A assistente de Educação da EEB Regente Feijó, Diana Isabel Loos Carvalho, lembra que até ontem o controle da merenda na unidade era feito com fichas de duas cores que eram dividas em Ensino Fundamental e Ensino Médio e após cada recreio, precisava contar às refeições que haviam sido servidas para alimentar o antigo sistema. A partir de hoje o processo é automático e muito mais preciso. “Não tem possibilidade de erro porque o aluno passa a carteirinha e sabemos até se ele repetiu e fica muito mais prático o nosso serviço”, comenta.

A supervisora de Articulação com os municípios da Gerência Regional de Educação, Isolânia Wippel, revela que atualmente o Governo de Santa Catarina investe em média R$ 220 mil mensais na merenda das escolas estaduais dos nove municípios da região e num primeiro momento quatro escolas delas foram contempladas com a mudança, que será gradativa e vai possibilitar a transferência automática de dados para o Sistema de Gestão Educacional de Santa Catarina (Sisgesc).  “Como a merenda escolar é terceirizada, pagaremos aquilo que foi de fato consumido. Só nessa etapa o Governo está gerando uma economia de R$ 26 milhões em todo o estado e esse novo sistema vai ajudar na alimentação dos próprios alunos para que não comam excessivamente e se trabalhe a questão alimentar e nutricional”.

Além da EEB Regente Feijó, nos próximos dias os tablets também passarão a ser utilizados na EEB Victor Meireles, em Vitor Meireles, e na EEB Walter Buss e EEB Bernardo Muller, ambas de Presidente Getúlio.

 

Helena Marquardt

Pin It
Você gostaria de comentar?