Em Blumenau, Colombo defende reforma política e econômica

Durante palestra no 32º Congresso Nacional dos Sindicatos Patronais do Comércio de Bens, Serviços e Turismo, na manhã desta quinta-feira, 26, em Blumenau, o governador Raimundo Colombo afirmou a necessidade de uma reforma política e econômica para enfrentamento da crise no país. O ministro do Supremo Tribunal de Justiça Marco Aurélio Buzzi e o presidente da Fecomércio, Bruno Breithaupt, também acompanharam o evento.

“Tem que votar e mudar a constituição para uma reforma política. Fizemos isso com a previdência e conseguimos segurar as contas. Imaginamos um país melhor a partir de 2018, mas, para isso, algumas medidas importantes devem ser tomadas”, disse Colombo.

blumenau_-_congresso_nacional_dos_sindicatos_patronais_20160526_1052489268

O governador destacou algumas mudanças que já foram realizadas em Santa Catarina a exemplo da negociação da dívida dos estados. “Os juros da dívida com a União são muito altos e valor da parcela também. Isso tira toda a capacidade de investimento e manutenção dos serviços dos estados do Brasil. Santa Catarina está enfrentando a crise com equilíbrio e conseguindo dar a resposta para a sociedade. Alguns estados aumentaram os impostos, mas esse não é o caminho, porque prejudica a classe industrial”, destacou o governador.

“Temos a menor taxa de desemprego do país, mesmo subindo de 3% para 6%, mas a média do Brasil é superior a 10%. Alguns caminhos alternativos, como aumentar a exportação, substituir a importação e melhorar o crédito são necessários para reativar a economia do país”, completou Colombo.

Na visão do governador, o tempo é curto para a realização de qualquer mudança estrutural no país, mas propostas devem ser levadas para o Congresso o mais rápido possível. “É necessário estabelecer uma idade mínima para a previdência pública, corrigir os indicadores, caso contrário, o custo vai ser cada vez maior e agravar ainda mais a situação. Outro ponto importante é a regulamentação do direito de greve. Nenhum país no mundo deu estabilidade de emprego e direito a greve. Não é possível um servidor da saúde entrar em greve, por exemplo”, disse.

Colombo encerrou a palestra falando sobre o PIB brasileiro. Entre 1905 e 2015, foram quatro crises financeiras e políticas ocorrendo decréscimo. “Em 2014 e 2015, o PIB chegou a menos 3%, o que torna a crise atual a maior desde 1905. Estamos enfrentando a chamada Boca do Jacaré, em que a inflação é maior que o PIB. E no crescimento anual, mostrou-se que entre 2011 e 2015, o valor foi negativo, perdendo posições para vários países e ficando na frente somente da Venezuela”, explicou Colombo.

Em seguida, o governador conheceu o projeto do Centro de Convenções do Parque Vila Germânica de Blumenau. O espaço, que será uma adaptação do Setor 3, prevê a construção de dois andares, com 3,2 mil metros quadrados de área total. Na parte inferior haverá um restaurante e área de apoio para aproximadamente 300 pessoas. Já o segundo piso será destinado a eventos como reuniões e congressos, com capacidade para 1,2 mil pessoas. O valor total do projeto é de R$ 14 milhões.

O congresso

É promovido pelo Sindicato do Comércio Varejista de Blumenau (Sindilojas), tendo como apoiadores a Confederação Nacional do Comércio (CNC), Fecomércio SC, Sesc, Senac e Sebrae SC. Os correalizadores são Sincavi e Sincofarma do Vale do Itajaí, Sindilojas Gaspar, Sinpeb do Alto Vale, Sindasseb, Secovi, Sirecon de Blumenau e Sincor SC.

O evento se encerra nesta sexta-feira, 27 de maio, com programação focada na capacitação dos dirigentes das entidades patronais, com o estímulo para a propagação de ideias e das melhores práticas em defesa do setor. A organização espera um público de aproximadamente 1,5 mil líderes sindicais, dirigentes executivos, assessores jurídicos, de comunicação e marketing, vindos de todos os estados brasileiros.

Rafael Vieira de Araújo 

Pin It
Você gostaria de comentar?