Corpo de Bombeiros salvou mais de R$ 302 milhões em patrimônios catarinenses ao combater incêndios em edificações em 2016

florianopolis_-_corpo_de_bombeiros_salvou_mais_de_r_302_milhoes_em_patrimonios_catarinenses_ao_combater_incendios_em_edificacoes_em_2016_20170504_1908376377

Considerando todos os incêndios em edificações registrados no ano passado em Santa Catarina, os prejuízos causados pelo fogo somaram R$ 86.756.903 (oitenta e seis milhões, setecentos e cinquenta e seis mil e novecentos e três reais), de acordo com levantamento feito pela Divisão de Perícias em Incêndios e Explosões do Corpo de Bombeiros Militar. Por outro lado, a boa notícia é que o montante salvo somou quase o triplo dos valores dos patrimônios que foram consumidos pelas chamas. Com as rápidas ações de combate a incêndios, o Corpo de Bombeiros Militar salvou valores que chegam a R$ 302.535.767 (trezentos e dois milhões, quinhentos e trinta e cinco mil e setecentos e sessenta e sete reais), em patrimônios dos catarinenses.

Apesar da complexidade dos números, o cálculo é bem simples de ser explicado. De acordo com o Major Deivid Nivaldo Vidal, chefe da Divisão de Perícias em Incêndios e Explosões do Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina, ao ser realizada uma perícia de incêndio, os peritos apontam os valores de mercado aproximados dos imóveis, equipamentos e mobiliário atingidos. Depois, eles calculam a área consumida pelas chamas e as cotas que foram salvas graças às intervenções dos bombeiros. Assim, é possível estimar a diferença dos prejuízos trazidos pelo fogo e o valor do que pode efetivamente ser salvo. “Os dados se referem somente aos sinistros que foram periciados. Se fizermos uma estimativa dos casos não periciados, certamente, o montante salvo chegaria a R$1 bilhão”, conclui.

Outra informação interessante é com relação ao número de perícias que vem aumentando graças a intensificação das especializações dos profissionais que atuam no setor. Com a formação de bombeiros em especialização em perícias, foi possível direcionar melhor os profissionais capacitados para atender todo o estado. Para se ter uma ideia, de 2015 para 2016, os percentuais de eventos periciados aumentaram em cerca de 15%. O desafio é chegar a 100% de perícias de incêndio em Santa Catarina. Em muitos casos, este trabalho ocorre em parceria com os diversos núcleos do Instituto Geral de Perícias (IGP) no estado.

Krislei Oechsler

Pin It
Você gostaria de comentar?