Confecção de cestas de Páscoa ajuda no seu desenvolvimento motor e cognitivo de alunos da Apae de Ibirama

Todos os alunos montam alguma etapa das cestas foto Helena Marquardt

A Páscoa, uma das principais festividades religiosas do mundo, tem ganhado um significado especial na Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Ibirama, que transformou a data em oportunidade e tem dado uma verdadeira aula de inclusão. Desde março os estudantes trabalham confeccionando cestas de papelão que agora estão sendo vendidas em toda a região e ajudam no seu desenvolvimento motor e cognitivo.

O artesanato é ensinado na turma da Oficina, que reúne alunos que não podem ingressar no mercado de trabalho por causa de alguma deficiência. A professora Viviane Vagner, explica os materiais utilizados nas cestas, como papelão e papel, foram doados pela comunidade. Já as fitas e outros enfeites foram comprados pela direção da escola.

A professora ressalta que juntamente com as atividades pedagógicas, os trabalhos manuais trazem inúmeros benefícios para os alunos especiais. “Esse trabalho desenvolve várias habilidades e todos participam. Alguns alunos conseguem desenvolver a cestinha toda sozinhos, mas a maioria faz determinada etapa. Os acabamentos finais eu ajudo porque precisa utilizar cola quente, mas eles montam praticamente sozinhos.”

As cestas custam de R$ 5 até R$ 12 reais, dependendo do tamanho e modelo, e estão sendo vendidas em alguns comércios de Ibirama e na própria Apae. O lucro da venda será revertido para um passeio com os estudantes e compra de materiais para confecção de outros artesanatos.

Além da confecção das cestas, que contribuem até mesmo para  a melhoria da autoestima dos alunos, a direção da Apae organizou também uma programação especial de Páscoa. A coordenadora pedagógica da instituição, Leonir Aparecida Stano, explica que os alunos estão realizando ao longo da semana apresentações culturais como canto e teatro de sombras. “Também organizamos uma gincana com caça ao coelho e ao ovo para ter uma interação entre os estudantes, professores e funcionários”.

Governo de Santa Catarina é um dos que mais investem na Educação Especial

O Governo de Santa Catarina é um dos que mais investem na Educação Especial. Só em 2016 foram destinados para o setor cerca R$ 230 milhões. Além de desenvolver a política estadual de educação especial e de atendimento às pessoas com deficiência, a Fundação Catarinense de Educação Especial é a instituição responsável por fomentar, produzir e difundir o conhecimento científico e tecnológico nesta área.

Em todo o Estado, os acordos de cooperação técnico-pedagógica do ano passado  resultaram no repasse total de R$ 155 milhões, sendo R$ 80 milhões para a contratação de 850 professores efetivos e R$ 75 milhões para a contratação de 2,5 mil professores temporários em 216 instituições especializadas em educação especial.

Neste ano o setor continua recebendo investimentos.  Exemplo disso é que em março a Agência de Desenvolvimento Regional (ADR) de Ibirama assinou um convênio no valor de R$ 467.069,93 com as Associações de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apaes) de Ibirama, Presidente Getúlio, Apiúna, José Boiteux, Dona Emma e Witmarsum. O valor será utilizado durante todo o ano para a manutenção das instituições.

Helena Marquardt

Pin It
Você gostaria de comentar?