Casa do artesanato de Ibirama, construída com a ajuda da Udesc, garante preservação das tradições e renda extra para artesãs

Casa do Artesanato

Há milhares de anos, na época de Natal a maioria das casas recebe árvores enfeitadas, presépios e arranjos para alegrar o ambiente e representar toda a simbologia da época mais festiva do ano, mas com o passar do tempo os enfeites tem se tornado cada vez mais modernos ou industrializados. No entanto em Ibirama, cidade do Vale do Itajaí de pouco mais de 18 mil habitantes, uma antiga tradição repassada de geração em geração tem feito cada vez mais sucesso pela beleza e delicadeza e contribuído para a preservação da cultura.

As lanternas coloridas ou os anjos feitos em palha de milho são apenas alguns dos produtos que fizeram a fama do artesanato ibiramense ser levada para todo o mundo durante mais de duas décadas, mas foi em 2014, com a inauguração da Casa do Artesanato que o trabalho minucioso de 35 mulheres passou a ser ainda mais conhecido e procurado.

A estrutura, que custou cerca de R$ 300 mil, foi erguida com a ajuda do programa de Extensão de Captação de Recursos do Centro de Educação Superior do Alto Vale do Itajaí (Ceavi), da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) que possibilitou a elaboração de um projeto para que o antigo sonho das associadas saísse do papel.

A artesã Dabnei Suani Howe conta que a Associação dos Artesãos de Ibirama foi fundada no início da década de 90, mas só em 2001 acabou sendo formalizada. Por vários anos o pequeno ponto de venda de tudo que era produzido pelos associados dependeu da ajuda financeira da prefeitura e da disponibilidade de imóveis na cidade e muitas vezes a “Casa do Artesanato”, como ficou conhecida, precisou mudar de local, mas hoje a entidade tem uma sede própria para receber bem os visitantes.

Através do programa Economia Verde e Solidária, do Governo do Estado, a quantia necessária para a obra foi liberada pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e a prefeitura da cidade também contribuiu cedendo um terreno no Centro para que a casa em estilo enxaimel fosse construída.

Depois que o espaço foi inaugurado, além da segurança de ter uma sede própria e não precisar mais se mudar, as artesãs também perceberam um aumento significativo nas vendas durante todo o ano. Dabnei afirma que o período que antecede o Natal é sempre um dos mais movimentados juntamente com a Páscoa, principalmente porque muitas pessoas compram itens para presentear amigos e familiares. “Vendemos muitas lanternas, arranjos, guirlandas, anjos e presépios. Muita gente vem até a Casa do Artesanato para comprar os presentes porque são peças únicas, feitas a mão e temos de todos os valores. Nesse ano a nossa expectativa é de aumentar ainda mais as vendas”, comentou.

A aposentada rio-sulense Carmen Siebert Petermann, foi uma das centenas de turistas que já visitou a Casa do Artesanato de Ibirama e se encantou com as peças expostas no local. “Achei tudo muito bonito e o artesanato feito por elas ajuda a manter essa tradição. A Casa do Artesanato também tem um espaço muito bom e que vale a pena conhecer”, ressalta.

Helena Marquardt

Pin It
Você gostaria de comentar?