BRDE anuncia recurso de financiamento para cidades prioritárias do programa de redução das desigualdades regionais de SC

Iniciativas para alavancar a economia de regiões menos desenvolvidas de Santa Catarina fazem parte do Programa de Desenvolvimento e redução das desigualdades regionais. Nesta terça-feira, 19, em Florianópolis, o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) anunciou destino de 20% dos recursos de financiamentos para as regiões prioritárias do programa. A reunião contou com a presença do secretário de Estado do Planejamento, Murilo Flores; do secretário de Estado da Assistência Social, Trabalho e Habitação, Geraldo Althoff; e de representantes da sociedade civil organizada.

“Este não é um programa de governo, é de toda sociedade. Cada entidade tem sua linha de trabalho, o que nós estamos pedindo às entidades é que elas direcionem sua linha de trabalho com toda a metodologia que elas já usam, a expertise que elas detêm para as regiões prioritárias. Disponibilizar crédito mais barato é importante e nosso desafio agora é organizar a sociedade local, fazer com que as pessoas tenham acesso a ele”, destacou Murilo Flores.

Além da proposta de destinar 20% dos recursos de créditos financeiros para os municípios, o BRDE vai oferecer redução de taxas de juros no microcrédito e ampliação de prazo nos financiamentos para as regiões de São Joaquim, Curitibanos, Quilombo, Canoinhas, Laguna, Dionísio Cerqueira, Campos Novos, Taió, Ituporanga, Caçador, São Lourenço do Oeste e Lages, eleitas como regiões de intervenção prioritárias pelo programa. São 84 municípios, divididos em 12 Agências de Desenvolvimento Regional (ADRs), que não têm acompanhado o mesmo ritmo de desenvolvimento social e econômico daquelas com maior dinamismo econômico em Santa Catarina.

Participaram da reunião representantes do BRDE (Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul), Fiesc (Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina), Sebrae, Fetaesc (Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado de Santa Catarina), Fecam (Federação Catarinense de Municípios), Senar/Faesc (Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina), Fapesc (Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina), Badesc (Agência de Fomento de Santa Catarina), SPG (Secretaria de Estado do Planejamento, SST (Secretaria de Estado da Assistência Social, Trabalho e Habitação), SDS (Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico Sustentável), Epagri e Santur.

Rosália Dors Pessato

Pin It
Você gostaria de comentar?