Crianças são mais vulneráveis a exposição do sol

Férias, viagens, praia, piscina e uma dúvida: o sol, afinal de contas, é vilão ou mocinho? Na época mais quente do ano, é importante estar atento aos cuidados com a exposição solar, especialmente das crianças, que são mais vulneráveis.

De acordo com médica pediatra, Dra. Michele Gatti Carballo Vieira, se por um lado o sol é bom por proporcionar vitamina D, por outro é preciso ter cautela. “Crianças, especialmente até um ano de idade, são muito sensíveis ao sol, com um maior risco de desidratação. A exposição solar deve ser feita com orientação, sempre priorizando a proteção, que nessa fase é fundamental”, explica.

Segundo ela, o efeito da radiação é acumulativo, isso quer dizer que o sol que recebemos desde a infância até a idade adulta só irá mostrar seus efeitos em longo prazo, com o envelhecimento precoce e a possibilidade até de surgir um câncer de pele.

Cuidados com a exposição solar

A médica pediatra explica que longos períodos de exposição ao sol ou períodos curtos sob um sol muito forte são muito perigosos. “É bom evitar levar crianças menores de um ano para praia ou piscina entre 10 e 16h. Quando levar, manter o bebê na sombra, sempre protegido com chapéu de abas e roupas. Uma boa alternativa é usar roupas que têm protetor solar na composição” enfatiza.

Já o filtro é recomendado para crianças a partir de seis meses. Ele deve ser específico para crianças, de marcas reconhecidas e que contenham proteção contra radiação UVA e UVB, bem como a aplicação que deve ser feita a cada duas horas. Além disso, é preciso ficar atento aos dias nublados, que causam os mesmos efeitos que dias ensolarados. Outra dica é manter as crianças hidratadas e assim, garantir um verão cheio de saúde.

*Foto ilustrativa

Alinhar Comunicação 
Pin It
Você gostaria de comentar?