Sonho da semifinal da Superliga acaba para Rio do Sul/Equibrasil

IMG_0312

O sonho de seguir adiante e estar na semifinal da Superliga Feminina acabou para Rio do Sul/Equibrasil. As meninas comandadas pelo técnico Spencer Lee perderam em casa para o Camponesa/Minas por 3 sets a 0 (20/25, 21/25 e 15/25). Os visitantes garantiram a classificação para a próxima fase por terem vencido dois jogos dos playoffs. Rio do Sul/Equibrasil está eliminado da competição.

Mesmo com a derrota, os aplausos foram muitos antes, durante e depois do jogo. Sem conseguir encaixar seu jogo como vinha acontecendo em praticamente todos os jogos em casa na temporada regular. E como o Minas não tinha nada a ver com isso e lutou bravamente pela vitória, tanto no primeiro como no segundo jogo, a equipe visitante saiu com uma vitória tranquila.

O primeiro set começou com grande equilíbrio entre as duas equipes. Sem contar com Tandara por boa parte da parcial, Paulo Coco colocou toda a confiança na catarinense Rosamaria. Carla com seu saque viagem desmontou a defesa das donas da casa em um momento chave do jogo, fazendo com que a equipe do Minas abrisse o jogo em vantagem.

Da mesma forma como na primeira parcial, Rio do Sul/Equibrasil veio com ânimo para tentar buscar o placar. O bloqueio mineiro, uma das armas mais letais no primeiro jogo do playoff na semana passada voltou funcionar e desconsertou as donas da casa.

No terceiro set, o jogo do time rio-sulense não encaixou novamente. Com dificuldade de rodar algumas bolas e sem aproveitar os contra-ataques, o time cedeu à pressão do Minas que jogava com tranquilidade. No fim do jogo, comissão técnica, jogadoras e torcedores saíram um pouco frustrados, mas muito orgulhosos de toda a temporada que a equipe fez.

“Foi um sonho. Fizemos um campeonato gigantesco, mas não soubemos aproveitar as oportunidades nestes dois jogos diante do Minas. Eles jogaram muito bem, e fica agora o consolo que uma equipe pequena, do interior de Santa Catarina, fez frente aos maiores times do Brasil”, observou o técnico Spencer Lee.

Para a central Mimi Sosa, a frustração mesmo foi no primeiro jogo das quartas de final. Mas ela revela que a vontade da equipe era de manter a concentração ao máximo e buscar o impossível. “A gente sempre acreditou, assim como nossa torcida sempre foi muito fiel durante todo o campeonato”.

Já a ponteira Isabela, colocou do orgulho de defender Rio do Sul nesta temporada. “A cidade é encantadora e o torcedor é quase como um amigo, uma pessoa que te leva para cima, te incentiva e te dá mais coragem. Acho que fiquei devendo um pouco pela temporada, por conta de ter sentido uma lesão que me tirou de alguns jogos, mas saio muito feliz por tudo o que o time apresentou”, explicou a ponteira.

 

Clóvis Eduardo Cuco

Pin It
Você gostaria de comentar?