Flamengo e Atlético-PR decidem Copa do Brasil

BIN3229_620x375m0fjpgcpy0

Será algo inédito. Seja qual for o resultado. Para um ou para outro, erguer a Copa do Brasil como capitão do seu clube tem sabor ainda desconhecido. Falta pouco. Muito pouco para que um deles descubra. Léo Moura ou Paulo Baier? Quem terá esse privilégio? Nesta quarta-feira, num Maracanã abarrotado por cerca de 70 mil pessoas, Flamengo e Atlético-PR escrevem o capítulo final da Copa do Brasil 2013, a partir das 21h50m (de Brasília). E caberá ao lateral-direito ou ao meia a honra de erguer a taça, o passaporte para a próxima Libertadores da América.

Ambos contrariaram previsões e ignoraram o tempo para viver esse momento. Léo tem 35 anos, tem seis títulos pelo Rubro-Negro no currículo, inclusive a Copa do Brasil de 2006, mas jamais ergueu um troféu com a braçadeira. Depois de um 2012 difícil, foi olhado com desconfiança mesmo pelo torcedor mais grato ao que o camisa 2 já fez pelo clube. Na reta final da atual temporada, cresceu, livrou-se de problemas físicos e tornou-se decisivo na campanha que tenta o tricampeonato. Com contrato até 31 de dezembro, espera o título e a renovação.

– É uma vitóra pessoal muito grande. Esse momento que estou vivendo aqui é tremendo, especial demais por tudo que aconteceu no ano passado, as lesões. Esse ano consegui crescer durante o campeonato. Tenho tido sucesso. Tenho que agradecer aos companhieros, foram as principais peças que me motivaram. Eles me ajudaram a voltar a jogar bem. Cada um acreditou em mim de forma especial. Acredito que assim como eu, o Baier é um cara que se cuida bastante, usa experiência em campo – disse Léo Moura.

Paulo Baier, de 39, maior artilheiro da era dos pontos corridos do Brasileirão, com 101 gols, conduz o Furacão, que chega pela primeira vez à final da competição. É líder e busca seu primeiro título nacional na elite do futebol brasileiro. A diretoria, que chegou a cogitar não renovar o contrato do vetereno, não suportou a pressão do grupo e dos torcedores e ampliou o vínculo. Com mais um ano de carreira pela frente, Baier pretende alcançar sua conquista mais expressiva antes de a aposentadoria chegar. É a busca pelo tão famoso final feliz.

– Seria muito importante para mim, em final de carreira, tendo mais um ano de contrato… Ter um título assim pelo clube seria uma coisa marcante, importante também para a minha carreira – afirmou.

O Flamengo está em vantagem depois do placar de 1 a 1 no Durival Britto, em Curitiba, semana passada. O empate sem gols dá ao título aos cariocas. Um novo 1 a 1 leva a decisão para os pênaltis. Empates a partir de 2 a 2 dão o título ao Atlético-PR. Se houver um vencedor nos 90 minutos, por qualquer placar, este será o campeão.

Leandro Vuaden (RS) apitará a partida, auxiliado por Emerson Carvalho (SP) e Marcelo Van Gasse (SP).

As escalações:

Flamengo: o técnico Jayme de Almeida não terá o zagueiro Chicão, que tem um problema muscular na coxa direita e não conseguiu se recuperar. Samir assume o posto. Nas demais posições, nenhum problema. A equipe está escalada com Felipe, Léo Moura, Samir, Wallace e André Santos; Amaral, Luiz Antonio, Elias e Carlos Eduardo; Paulinho e Hernane.

Atlético-PR: a principal dúvida é em relação ao substituto de Everton. O técnico Vagner Mancini conta com três principais opções para substituí-lo: João Paulo, Felipe e Dellatorre. O primeiro também pode substituir Zezinho. O lateral Léo, absolvido pelo STJD em julgamento na noite de terça-feira, depende de liminar para atuar. Com isso, o Furacão deve entrar em campo com Weverton; Juninho (Léo), Manoel, Luiz Alberto e Pedro Botelho; Deivid, Zezinho (João Paulo), Felipe (João Paulo ou Dellatorre) e Paulo Baier; Marcelo e Ederson.

Quem está fora:

Flamengo: o zagueiro Chicão, com lesão na coxa direita, não joga. O volante Victor Cáceres, que se recupera de cirurgia, está fora e só volta ao time no ano que vem.

Atlético-PR: O meia Everton também fica fora pelo terceiro amarelo, recebido no jogo de ida da final. Já Bruno Silva e Roger não podem jogar por já terem defendido outros clubes na Copa do Brasil – Ponte Preta e Sport, respectivamente.

Pendurados:

Flamengo: Chicão, André Santos, Luiz Antonio, Elias e Léo Moura.

Atlético-PR: Weverton, Manoel, Luiz Alberto, Jonas, João Paulo, Juninho, Douglas Coutinho.

* A suspensão resultante de um cartão na final será cumprida pelo jogador em sua primeira partida de uma edição futura da Copa do Brasil.

Na história:

Flamengo e Atlético-PR se enfrentam pela primeira vez pela Copa do Brasil. Em confrontos pelos Brasileiro, a última vitória do clube carioca sobre o rival aconteceu em um ano de boas recordações, um ano de título. Pela quarta rodada do Brasileiro de 2009, o Flamengo do técnico Andrade venceu o Furacão por 2 a 1 no Maracanã, pela quarta rodada, com gols de Adriano e do zagueiro Antônio Carlos (contra). Rafael Moura anotou para o time paranaense, treinado por Antônio Lopes.

Pin It
Você gostaria de comentar?