Etíope vence São SIlvestre na arrancada final; Queniana bate recorde

São Paulo - O queniano Stanley Kipleting Biwott foi o campeão com 44m31s da 91ª Corrida Internacional de São Silvestre (Rovena Rosa/Agência Brasil)

Foto:(Rovena Rosa/Agência Brasil)

Em uma chegada espetacular, o etíope Leul Aleme conseguiu uma arrancada para vencer a prova masculina da São Silvestre neste sábado, em São Paulo. Ele completou a prova em 44m52, performance inferior ao recorde histórico da lenda queniana Paul Tergat, que permanece recordista (43min12).

Aleme superou na reta final o seu compatriota Dawit Admasu, campeão da prova em 2014, que completou a prova em 44min55. O queniano Stephen Kosgei completou as três primeiras colocações com o tempo de 45min00.

Brigando pela liderança até a subida da Avenida Brigadeiro Luis Antônio, o brasileiro Giovani dos Santos ficou com a quarta colocação, fechando o percurso em 45min30. Willian Kibor, do Quênia, fechou as cinco primeiras colocações com 45min49.

Recorde no feminino

Já entre as mulheres, a campeã olímpica da maratona da Rio-2016, a queniana Jemima Sumgong, dominou a prova e bateu o recorde histórico feminino com o tempo de 48min34. O melhor tempo anterior pertencia a Priscah Jeptoo, que fez 48min48s em 2011.

Especialistas em corridas de longa distância, Sumgong se adaptou bem à ruas de São Paulo e somou mais um título importante nesta temporada. A queniana venceu também a Maratona de Londres em 2016.

A segunda colocação ficou com a queniana Flomena Cheyech, com 49s14. Eunice Chumba, da Bahamas, (50min24), a etíope Ymer Ayalew (51min40) e a queniana Ester Kakuri 51min45) completaram as cinco primeiras colocações.

Leia também:

São Silvestre I – Papa do início da Igreja

UOL.

Pin It
Você gostaria de comentar?