Com ginásio lotado, Rio do Sul/Equibrasil luta até o fim, mas cede vitória ao Rexona-Ades

IMG_1878

Caiu a invencibilidade do time Rio do Sul/Equibrasil em casa na Superliga. E a maneira que isso aconteceu é bastante contestável, mas o sentimento do torcedor que saiu do Artenir Werner já no início da madrugada deste sábado (13), em Santa Catarina. O Rexona-Ades teve uma virada no tie-brake (25/22, 11/25, 25/23, 20/25, 15/17)  venceu as donas da casa em um resultado amargo, mas que pelo menos, garante mais um precioso ponto na disputa pela classificação para os playoffs da Superliga.

O resultado acabou com a sequência de oito vitórias da equipe catarinense em casa nesta Superliga, mas o time persiste como uma das surpresas deste campeonato. “Faltou um pouco de maturidade neste jogo. Conduzimos algumas situações tão bem, mas outras tivemos um nervosismo que eu acredito ser meio que natural. Perdemos por pouco de uma das equipes mais fortes da Superliga. Isso pode ser muito comemorado. Mas sabemos que ao longo do jogo, fomos muito merecedores de uma eventual vitória”, desabafou o técnico Spencer Lee.

O primeiro set foi emocionante. Rio do Sul/Equibrasil e Rexona-Ades fizeram um duelo digno da expectativa da grande massa de torcedores que esgotaram os ingressos dois dias antes da partida. Gabi da equipe carioca vinha com uma partida perfeita, enquanto Helô, de Rio do Sul, também mostrou todo o seu potencial. No final, as riossulenses tiveram ânimo para virar e abrir o placar em casa.

A segunda parcial foi para Rio do Sul esquecer. Ótimos contra-ataques do adversário, a mão pesada de Natália e Juciely, e alguns erros de ataque das donas da casa impediram um avanço no placar. E no terceiro set, empurradas pela torcida, após estarem perdendo por uma diferença de quatro pontos, Rio do Sul/Equibrasil voltou para a partida e abriu a vantagem novamente.

As donas da casa estavam muito bem no jogo. Fran e Camila Paracatú faziam uma partida espetacular no meio. Mas o passe de Rio do Sul fez toda a diferença para que o Rexona reagisse e levasse o jogo para o tie-brake.

Para a ponta Vanessa, do time catarinense não conseguiu segurar a pressão do jogo no momento mais importante. “Foi por pouco e a gente lamenta muito isso. É uma pena. Mas a gente levou um jogo dificílimo até o último set e ninguém se entregou em nenhum momento. É levantar a cabeça e seguir adiante por que ainda há muito o que conquistar nesta Superliga”, adiantou a jogadora.

O próximo jogo do time Rio do Sul/Equibrasil na Superliga é dia 20, quarta-feira às 19h30, diante do Concilig/Bauru, na cidade de Bauru (SP). Em seguida, a equipe vai até Osasco, onde no dia 22, enfrenta o Vôlei Nestlé, desta vez pela Copa do Brasil. O jogo vale classificação para a próxima fase da competição e será disputado no ginásio José Liberatti.

 

Clóvis Eduardo Cuco

Pin It
Você gostaria de comentar?