Chapecoense faz gol relâmpago, mas Figueirense corre atrás e arranca empate

O técnico Adilson Batista pediu e a torcida alvinegra atendeu, na noite deste sábado os alvinegros não deixaram de apoiar o Figueirense nenhum minuto. Foi assim desde os 14 segundos do primeiro tempo quando a Chapecoense abriu o placar com Fabinho Alves.

Na primeira partida da semifinal do Campeonato Catarinense o Furacão empatou em casa com o Verdão do Oeste em 1 a 1, em um jogo marcado pela forte marcação do time visitante e pela pressão que o Figueira fez em seu adversário até conseguir o gol com Ricardinho aos 37 minutos do segundo tempo.

O próximo encontro entre Figueirense e Chapecoense será no domingo dia 5 de maio na Arena Condá, às 16h. Outro empate garante o Verdão na final do Estadual. Já o Alvinegro precisa da vitória para seguir em frente.

O gol mais rápido do Catarinense

Adilson Batista trabalhou a semana inteira em cima de um esquema que o Figueirense pudesse atacar com qualidade a melhor defesa do Campeonato Catarinense e até a hora do jogo fez suspense na escalação que teve uma alteração no minuto que o time entrou no gramado com a saída de Botti, machucado, para a entrada de Helder. Porém, toda essa preparação foi por água abaixo em 11 segundos de jogo quando o atacante Fabinho Alves recebeu no lado esquerdo do ataque e o zagueiro Thiego escorregou na hora de fazer a marcação. Livre, o atacante da Chapecoense entrou na área e fuzilou o goleiro Ricardo, que não teve chance de evitar o gol mais rápido do Campeonato Catarinense.

O gol assustou a equipe alvinegro que só conseguiu chegar no gol adversário aos nove minutos quando Willian Magrão invadiu a área e chutou cruzado, a bola passou pela área e foi afastado por André Paulino, no rebote Maylson cruzou a bola que foi tirada mas uma vez pela defesa verde.

A partida esta acelerada, mas com o passar dos minutos o ritmo foi diminuindo. A Chapecoense satisfeita com o placar apenas se defendia e o Figueirense tentava criar jogadas nas bolas paradas, principalmente nas cobranças de escanteio.

Enquanto o goleiro Ricardo assistia a partida no campo de defesa, Nivaldo, o camisa 1 da Chapecoense, tinha que trabalhar. Foi assim quando Guti desviou de cabeça a bola em cobrança de escanteio e quando Maylson invadiu a área e chutou cruzado. O Alvinegro pressionava tentando o gol de empate.

Com o apoio da torcida o Furacão partiu para cima e aos 38 minutos o goleiro Nivaldo fez um milagre. Depois de ótima troca de passes entre Willian Magrão e Ricardinho a bola sobrou para Marcelo Toscano que quase de baixo da trave desviou a bola para o gol, no entanto Nivaldo foi muito ágil e conseguiu fazer uma defesa espetacular impedindo o gol de empate alvinegro.

O gol da insistência

O Figueirense pressionou durante todo o primeiro tempo e até teve uma chance de empatar a partida, porém a Chapecoense esteve impecável na marcação. E o início do segundo tempo não foi diferente. O time de Chapecó continuou postado atrás da linha de meio-de-campo e marcando forte.

A marcação foi tão forte que o lateral Fabinho Gaúcho foi expulso aos 18 minutos da segunda etapa. O lateral derrubou o volante Tinga e como já tinha o cartão amarelo foi expulso pelo árbitro Célio Amorim. Com um homem a menos, o técnico Gilmar Dal Pozzo tirou o artilheiro Rodrigo Gral e colocou o volante Tiago Saletti, recuando ainda mais o time.

Somente aos 24 minutos saiu o primeiro chute do Figueirense no segundo tempo. Danilinho recebeu na entrada da área e decidiu arriscar. O chute passou longe do gol e não levou nenhum perigo para Nivaldo. Assim como o arremate de Ricardinho quatro minutos depois após driblar dois atletas da Chapecoense.

Desesperado atrás do gol de empate o técnico Adilson Batista colocou a equipe para cima com Eliomar aberto pela direita, Ricardinho pela esquerda e Marcelo Toscano centralizado e nas laterais Gerson Magrão e Maylson improvisados. Sem jogadas de criatividades as chances alvinegras apareciam em chutes de longe, mas que não levavam perigo ao gol adversário.

O Alvinegro insistia nas bolas cruzadas na área adversária e foi com uma bola cruzada que o Figueirense conseguiu o empate. Aos 37 minutos o volante Tinga cruzou a bola e dentro da área o atacante Ricardinho desviou de ombro a bola foi no canto esquerdo do goleiro Nivaldo que não conseguiu alcançar ela, a bola morreu dentro da rede fazendo a torcida explodir de alegria no Scarpelli.

Depois do gol o Figueirense seguiu pressionando a Chapecoense com mais bolas cruzadas e chutes de longe, porém sem resultado. Com o empate o Verdão tem a vantagem de jogar em casa pelo empate, já o Alvinegro precisa de uma vitória no dia 5 de maio para seguir em frente no Estadual.

RBS.

Pin It
Você gostaria de comentar?