Show de Paulinho da Viola termina com mal entendido nos bastidores

img_3615

O clima foi de muita tensão na Noite desta segunda-feira, 29, até a entrada de Paulinho da Viola no palco do Theatro Net, localizado em Copacabana, Zona Sul do Rio. Com a plateia lotada, o cantor fez uma participação beneficente em prol da SBAT – Sociedade Brasileira de Autores. Mas, no primeiro momento, através de  um pedido da assessoria de imprensa do local, os fotógrafos estariam proibidos de registrar imagens de Paulinho por determinação de sua produção pessoal.

“O teatro queria gravar o Show na íntegra e isso não poderia acontecer de jeito nenhum, pois se trata de um produto comercial, de uma apresentação onde ele (Paulinho da Viola) abriu mão dos direitos autorais por ser um show beneficente. Os fotógrafos foram liberados sim, mas essa história de câmera gravando o Paulinho, não”, explicou Lila Rabello, esposa e produtora do cantor em entrevista.

Já a direção do teatro, contou a sua versão sobre o clima estranho nos bastidores: “Na realidade houve um probleminha de comunicação entre a produção deles e a gente. Por se tratar de um show beneficente, a negociação foi feita entre eles e a produção de cada artista que estava no palco. O que fazemos aqui no teatro é apenas imortalizar os artistas. Temos um acervo enorme com vários nomes que já passaram por aqui. Foi tudo esclarecido e já até fechamos com a produção deles uma parceria fixa para o teatro”, disse o diretor responsável pelo teatro, Fred Reder.

O projeto batizado como “Ô abre alas”, foi uma homenagem à fundadora da sociedade, Chiquinha Gonzaga, e teve no repertório interpretado por vários artistas, dentre eles Alexandre Nero, clássicos de autoria do próprio Paulinho: “Quando recebi essa proposta topei na hora. Estamos falando de um grupo que faz parte da nossa história cultural. Como artistas, precisamos estar envolvidos nesses projetos”, resumiu Paulinho da Viola assim que encerrou sua participação no evento.

EGO.

 

Pin It
Você gostaria de comentar?