Os personagens mais inúteis de “Amor à Vida”

NOinuteisamoravidaCAPA

Em uma novela com uma centena de personagens, claro que alguns vão brilhar mais que os outros. Por exemplo, uma Márcia teve muito mais espaço que uma enfermeira Joana (que, por sua vez, também foi eclipsada em número de cenas pelo cachorro Aladdin). Então chegou a hora de dar o merecido destaque para todos esses que serviram apenas para aumentar o número de panetones na cesta de fim de ano dos atores da Globo, os dez personagens mais inúteis de “Amor à Vida”!

Reprodução / Globo

Marilda
A enfermeira do San Magno existia apenas para o plot do sadomasoquismo. Todas as marcas em seu pescoço, o mistério, os sorrisos nervosos, todas suas ações era para evitar que os enfermeiros descobrissem que ela era adepta àquela prática sexual repleta dos chicotinhos e mordaças. Como o autor não conseguiu desenvolver o tema, a personagem se tornou completamente dispensável. Qual é a necessidade dela?

Reprodução / Globo

Rinaldo
Ele é tão inútil na novela que você nem ao menos sabia que seu nome era Rinaldo, e não “Filósofo”. O funcionário do bar do Denizard serve apenas para ser a escada para o patrão poder xingar à vontade alguém que não é a periguete ou a periguetona. O autor até tentou colocá-lo em um triângulo amoroso de Márcia e Atílio, mas deu uma química bem ruinzinha.

Reprodução / Globo

Jefferson
Passou a trama inteira de “Amor à Vida” fazendo absolutamente nada, e aí do nada inventou o sonho de ser um BBB e foi com a Valdirene e o outro mala lá para a porta do Projac. Como não teve o sonho realizado, voltou a engrossar o número de figurantes do San Magno.

Reprodução / Globo

Karina
Você sabe quem é ela? Nem eu! Segundo o site de “Amor à Vida”, Karina é funcionária da boutique de Edith. Mas, vem cá… se Edith e a Tamara atendem a todos os clientes daquela loja, por que é que precisaram contratar mais uma funcionária? E por que alguém tão inexpressivo ganhou até nome e perfil no site da novela?

Reprodução / Globo

Valéria
Valéria, segundo o site oficial, trabalha no hospital San Magno. Porém, a mulher só apareceu em três cenas, sempre com apenas uma frase e ao lado de personagens igualmente irrelevantes. Será que é para usarmos nossa imaginação e criar uma trama pra ela?

Reprodução / Globo

Ailton
Assim como a personagem anterior, Ailton participou apenas de três cenas de “Amor à Vida”. Curiosamente, seu personagem (assim como alguns outros) foram incluídos na novela após algumas críticas sobre não ter um único negro na novela quando começou.

Reprodução / Globo

Maristela & Verônica
As duas evangélicas tinham a função de criticar qualquer personagem que passava pela portaria do hospital e oferecer bíblias gratuitamente. Quando o estoque de livro sagrado chegou ao fim, as duas conseguiram uma ponta como fiéis fanáticas da igreja evangélica do bairro pobre da trama.

Reprodução / Globo

Jonas
Provavelmente viciado em “Law & Order” ou “Drop Dead Diva”, Walcyr Carrasco colocou muitas batalhas nos tribunais em “Amor à Vida”. Como estava ficando chato todas as pelejas jurídicas serem resolvidas pelo Rafael e pela Sílvia, o autor colocou o “adevogado” Jonas para variar um pouco os atores.

Reprodução / Globo

Sandra
Todo o núcleo da Gigi é meio inútil, mas Sandra ganha em disparado. Enquanto até o pai dela conseguiu 15 segundos de plot, a menina ficou sendo figurante a novela inteira. Nem para o autor juntar ela com o Jonathan, o filho de Félix pegou uma outra figurante e deixou Sandra sem qualquer função a não ser reclamar da irresponsabilidade de sua avó.

RD1

Pin It
Você gostaria de comentar?