Sonora Brasil apresenta cantos de trabalho em Rio do Sul

Ilumiara - Foto Tarcisio de Paula

Um convite para conhecer um pouco mais da cultura nacional com cantos e músicas regionais. Rio do Sul recebe mais uma edição do Sonora Brasil, do Sesc, que este ano tem o tema Sonoros Ofícios – Cantos de Trabalho. As apresentações serão realizadas na Fundação Cultural, de 26 a 28 de novembro, às 20h, com entrada gratuita.

No sábado, dia 26, as Destaladeiras de Fumo de Arapiraca e o Mestre Nelson Rosa sobem ao palco do Espaço Alternativo. O grupo é formado por cinco mulheres da região de Sítio Fernandes, no município de Arapiraca (Alagoas), e por Nelson Rosa, mestre de coco de roda. Os cantos das destaladeiras são entoados em várias vozes, com uma só voz no improviso dos versos tirados pelas líderes do salão. São característicos pelas trovas rimadas, por serem arrastados e sem acompanhamento instrumental.

Domingo, dia 27, é a vez das Quebradeiras de Coco Babaçu, do Maranhão.  O grupo é formado por oito mulheres que trabalham na quebra do coco e exercem um importante papel de liderança na defesa e na valorização do trabalho das quebradeiras. São cânticos entoados com voz firme e potente, e marcados pelo ritmo do machado e do porrete. As letras refletem uma postura crítica e questionadora das condições de vida das trabalhadoras.

A última apresentação, na segunda-feira, 28, é com um grupo de cinco músicos pesquisadores de diversas vertentes: o Ilumiara, de Minas Gerais. Esse é único da mostra que não está relacionado a uma prática específica da tradição. O grupo traz no espetáculo a contextualização histórica e social dos cantos de trabalho no Brasil e interpreta vissungos, cantigas de ninar, cantos de lavadeiras e outros, com arranjos elaborados a partir de uma visão estética contemporânea.

A mostra dedicada aos cantos de trabalho integra a 18ª edição do Sonora Brasil – Formação de Ouvintes Musicais, projeto nacional do Sesc que tem a proposta de despertar um olhar crítico sobre a produção e os mecanismos de difusão de música no país. Os cantos são, na maioria das vezes, uma prática coletiva que tem funções de acordo com o trabalho e as formas culturais e sociais de determinadas regiões ou localidades. Podem ter também o papel de aliviar o desgaste físico e aumentar a produtividade, mas também podem servir como forma de externar o lamento e a crítica. Informações: (47) 3521-2798 e http://ww2.sesc-sc.com.br/projeto/8.

Tiago Amado.

Pin It
Você gostaria de comentar?