Meninos cantores de Taió nos passos das Meninas

Meninos 2

Que as “Meninas Cantoras” são um sucesso em Taió, em outras regiões de nosso estado, isso todos já sabem. Agora, na trilha das meninas, também surgem os “Meninos Cantores de Taió”. Formado por um grupo de 15 garotos, com idade entre 8 e 11 anos, esses meninos, já conquistaram o coração dos taioenses.

Fazendo apresentações em especiais e em eventos festivos da cidade, aos poucos, os Meninos vão abrindo e conquistando o devido espaço na área musical e cultural da região.

A primeira aparição pública desses prodígios foi em uma participação especial no espetáculo das Meninas Cantoras – “Do Oiapoque ao Chuí” – em outubro do ano passado.  De lá para cá, o empenho nos ensaios e a dedicação nas aulas de canto, que recebem na Casa da Cultura, são intensos.

No fim do ano passado, eles figuraram em apresentações nos especiais de Natal. Mas, até então, não tinham o espetáculo solo garantido. O que segundo a regente dos dois corais, será realizado em setembro deste ano.

Mas como surgiu a ideia de formar um coral masculino?  Há um ano atrás, a professora de canto e regente das meninas cantoras, Denise Purnhagen, conta que, de certa forma, sentiu-se pressionada pelos meninos de Taió, para criar o homônimo.

De acordo com a professora, quando ela ia nas escolas para recrutar as meninas, surgia a cobrança dos garotos.

Purnhagen lembra que, as requisições vinham tom irônico. “Professora, porque tem as meninas e não tem os meninos? É o Clube da Luluzinha?”, recorda-se em risos.

Em meio a tanto protesto por direitos iguais, ela fez um levantamento para ver se realmente haveria ou não a possibilidade de começar com o grupo de meninos.  Dias depois, ela constatou que tinha material humano suficiente para iniciar um novo projeto. “Para mim foi uma grande surpresa”, disse.

No entanto, ela percebeu que, lidar com os meninos era algo totalmente diferente. Os dias de encontros e ensaios com as meninas, eram tranquilos. Já com os meninos, a chave ficava ligada em 220 volts, sem direito a refresco.

Entendendo que o comportamento dos pequenos não era tão sossegado como os das meninas, Purnhagen teve que desenvolver estratégias e exercitar muito a paciência para lapidar os bambinos. “Os meninos são mais agitados, imperativos, inquietos, ansiosos. E isso, dificultou o começo”, conta.

Ela compara os primeiros ensaios como um encontro de fios desencapados.  Mas hoje, segundo a regente, os garotos já entenderam a proposta e melhoraram radicalmente o comportamento. “Eles assumiram uma responsabilidade ímpar nos trabalhos desenvolvidos, são dedicados e estão evoluindo muito bem nas atividades, encaram com seriedade as aulas e os exercícios de canto”, destacou.

Caso alguma criança tenha interesse em participar dos Meninos ou Meninas Cantoras, os pais, ou responsáveis, devem se informar sobre as inscrições na Casa da Cultura, por meio do telefone: 47 3562-1686.

 

Márcio Nato Rodrigues

Pin It
Você gostaria de comentar?