Espetáculo Lete, de Rondônia, chega a Rio do Sul pelo Palco Giratório Sesc

Lete_com Beradera Companhia de Teatro_RO_foto de Luana Lopes (2)

Descrito pela mitologia grega como “o rio do esquecimento, aquele que apaga nos homens as suas vidas passadas”, “Lete” dá nome ao espetáculo que a Beradera Companhia de Teatro, de Rondônia, apresenta em seis cidades catarinenses. A obra circula pelo circuito nacional do Palco Giratório Sesc 2017 e em Rio do Sul será encenada na quarta-feira, 16 de agosto. A apresentação inicia às 19h30min, na Fundação Cultural, com entrada gratuita e indicação etária de 14 anos.

Concebida em 2013, a montagem propõe uma reflexão sobre os diversos ciclos migratórios que moldaram a cidade de Porto Velho, culminando com o ciclo das usinas hidrelétricas. A peça estreou pouco antes da cheia histórica do rio Madeira, em 2014, que ultrapassou em dois metros a última marca registrada e afogou comunidades ribeirinhas inteiras.

O espetáculo carrega impressos de sentimentos sobre as vozes não alcançadas dos atingidos pela enchente e a memória dissipada nas águas velozes e violentas do rio. A peça lança luz sobre as vozes não ouvidas nestes processos econômicos e evidencia a memória que se esvai nas águas do rio. Quatro atores-narradores se revezam em mais de vinte personagens em uma trama construída sobre cem anos de história concentradas em uma. As músicas que compõem a trilha sonora do espetáculo foram desenvolvidas a partir de referências no trabalho de ribeirinhos, principalmente da comunidade de Nazaré, onde está localizado o instituto Minhas Raízes.

 

Sobre o Circuito Nacional Palco Giratório 2017

Em sua 20ª edição, o circuito é considerado o maior projeto de circulação nacional das artes cênicas e está consolidado no cenário cultural brasileiro. Neste ano, conta com a participação de 20 companhias, que somarão 685 apresentações artísticas e 1.188 horas de oficinas teatrais. Até o final deste ano, o projeto visitará 144 cidades em 26 estados e no Distrito Federal, com espetáculos, seminários e intercâmbios artísticos, contribuindo para uma política de descentralização e difusão das produções cênicas. A cada ano, novos grupos teatrais são avaliados para entrar no projeto, em um trabalho que envolve técnicos da área de cultura do Sesc em todo país. Além de entretenimento, o Palco Giratório proporciona trocas de experiências e intercâmbios entre artistas e plateia, por meio de oficinas, seminários e festivais. Saiba mais: www.sesc.com.br/palco.

 

Sobre o Grupo Beradera Companhia de Teatro, de Rondônia

A companhia surgiu em 2013 por ocasião da peça Lete, contemplada pelo Prêmio Funarte Myriam Muniz de Teatro 2012. Em 2015, a peça circulou por dez capitais através do projeto Amazônia das Artes, do Sesc Nacional.  A peça seguinte foi Saga Beradera, contemplada pelo Prêmio Funarte de Teatro Myriam Muniz 2014 e que esperou em 2015 na cidade de Porto Velho/RO.

 

Sobre o espetáculo Lete

Lete, na mitologia grega, é o rio do esquecimento. É ele quem apaga nos homens as suas vidas passadas. Esta peça reflete, em um ambiente ficcional, sobre os diversos ciclos migratórios que moldaram a cidade de Porto Velho, culminando com o ciclo das usinas hidrelétricas. A peça lança luz sobre as vozes não ouvidas nestes processos econômicos e evidencia a memória que se esvai nas águas velozes e violentas do rio. Quatro atores-narradores se revezam em mais de vinte personagens em uma trama construída sobre cem anos de história concentradas em uma.

Tiago Amado

Pin It
Você gostaria de comentar?