Coletivo cultural de Presidente Getúlio participa de Festival de curtas no Rio de Janeiro

23130718_1561174103998551_6882649874398272074_n

O Coletivo cultural Alô Produção de Presidente Getúlio esta participando da quarta edição do festival de cinema 72 horas Rio com a produção, “A velha casa dos Mantegovery”. Um roteiro do diretor da Tv Imagem Net e A+ Produtora Filmes, Luiz Cunha e direção de Ronildo Garcia.

O 72HORAS é um desafio para tirar as idéias da cabeça e produzir um filme de curta metragem no prazo de 72 horas.

Até a terceira edição, o festival provocou a produção de mais de 200 curtas produzidos por 3.767 cineastas e atingiu um público presencial de mais de 12.000 pessoas.

Os filmes podem ser documentários, ficções ou animações, e toda produção de roteiro, filmagem e edição, devem ser completados no prazo máximo de 72 horas.

A largada do festival, foi às 19h no dia 01/11, onde foram anunciados os “Elemento Criativos”, que deveriam estar inseridos no filme, uma forma de provar que o curta foi produzido dentro do prazo de 72 horas estipulados pelo festival. Nesta edição os elementos foram a água, Match cut (edição) e foley (edição).

O júri, composto por cineastas, produtores e profissionais de audiovisual, irá julgar 15 categorias: Primeiro, Segundo e Terceiro Melhor Filme, Ficção, Documentário, Animação, Filme Celular, Direção, Roteiro, Edição, Cinematografia, Trilha Sonora Original, Ator, Atriz, Maquiagem, e Uso Inovador de Elementos Criativos. Os melhores filmes serão premiados e re-exibidos na Cerimônia de Premiação no dia 7 de dezembro.

Para os idealizadores do projeto, Cristiano Vicente e Nicole Freeman, o festival é muito gratificante, “É uma brincadeira bem gostosa – 72 horas é adrenalina pura! O curto prazo estimula a criatividade e os resultados são surpreendente” ressalta Cristiano. “O festival é para todos. Encorajamos a participação de pessoas de qualquer área, habilidade ou idade. Participam produtores profissionais, estudantes, famílias, até pessoas que nunca fiz nenhum filme na vida. Eu sempre fico impressionada com a energia que esse desfio estimula” Nicole acrescenta.

Para a produção em Presidente Getúlio, o coletivo Alô Produção formado por jovens iniciantes, produtores, músico e técnicos, utilizou como locação uma casa antiga no bairro Mostifer para contar uma história cheia de mistério.

Deise Bento se preparando para atuar.

Deise Bento se preparando para atuar.

85 FILMES PRODUZIDOS DURANTE O 72HORAS RIO FESTIVAL DE FILMES SERÃO EXIBIDOS EM MOSTRAS GRATUITAS

23380330_1493113030726497_3647530356535626185_n

Ao todo serão 2 dias com 6 sessões diárias no Museu de Arte do Rio (MAR) e a entrega dos prêmios no Teatro Imperator (Centro Cultural João Nogueira) no dia 07 de dezembro.

Nos últimos dias 01, 02, 03 e 04 de novembro, o 72HORAS encheu de cinema, os Estados do Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, São Paulo, Goias, Minas Gerais, Pernambuco, Bahia, Distrito Federal, Mato Grosso, Santa Catarina e até Nova Iorke, no Estados Unidos.

Com participação recorde, o 72HORAS RIO Festival de Filmes, levou para as ruas cerca de 1600 pessoas que aceitaram o desafio de produzir um curta de seis minutos no prazo máximo de 72 horas. O resultado de todo o trabalho será exibido gratuitamente para o público nos dias 12/11 e 19/11 em mostras especiais no no Museu de Arte do Rio.

 

Para os idealizadores do Festival, Cristiano Vicente e Nicole Freeman, o resultado foi maravilhoso, “ver as pessoas empenhadas em dar o melhor de si para produzir um filme é algo que me motiva a dar continuidade ao Festival. Agora teremos as mostras gratuitas para o público em geral que terá um papel importante, já que um dos prêmios será justamente do júri popular. Ver as equipes empolgadas na entrega dos filmes, foi emocionante”, acrescenta Cristiano. Para Nicole, “as mostras de todos os filmes é uma forma de prestigiar o trabalho de todas as equipes. E ter prêmio para 16 categorias, um incentivo maior ainda”, finaliza.

Para Luiz Cunha roteirista e produtor do curta, “mais do que participar de um festival a nível nacional e concorrer a prêmios, vem a vontade de movimentar a cultura local e fazer cinema, mostrando que sim, é possível produzir fora dos grandes centros”.

Para Ronildo Garcia, produtor e diretor do filme, o empenho do grupo foi decisivo para a produção, “Conseguimos nos desafiar e produzir em 72h um filme, isso mostra a força e comprometimento desse coletivo.”

23316531_1565870273528934_4812229774938292082_n

Agora é ficar na torcida para que A velha casa dos Mantegovery cai no gosto dos jurados e do público em sua exibição no dia 19.

Pin It
Você gostaria de comentar?